Google+ Followers

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O atual cenário religioso


Gostaria de conhecer a verdade?

A VERDADE sobre o quê? Sobre algumas das perguntas mais importantes que as pessoas já fizeram. Por exemplo, você talvez já se tenha perguntado:
  • Será que Deus realmente se importa conosco?
  • A guerra e o sofrimento acabarão algum dia?
  • O que acontece depois da morte?
  • Há alguma esperança para os mortos?
  • O que preciso fazer para Deus ouvir minhas orações?
  • Como posso encontrar a felicidade?
Onde você pode achar as respostas para essas perguntas? Se for a bibliotecas ou livrarias, talvez encontre milhares de livros afirmando ter as respostas. Mas com freqüência um livro discorda do outro. Alguns parecem estar certos por um tempo, mas logo ficam desatualizados e precisam ser revisados ou substituídos.
Mas há um livro que contém respostas confiáveis. É um livro de verdades. Jesus Cristo disse em oração a Deus: “A tua palavra é a verdade.” (João 17:17) Hoje conhecemos essa Palavra como a Bíblia Sagrada. A seguir, veja um resumo das respostas claras e confiáveis que a Bíblia dá às perguntas acima.

Será que Deus realmente se importa conosco?

MOTIVO DA PERGUNTA:Vivemos num mundo cheio de crueldade e injustiça. Muitas religiões ensinam que nosso sofrimento é da vontade de Deus.
O QUE A BÍBLIA ENSINA:Deus nunca causa a maldade. ‘Longe está do verdadeiro Deus agir iniquamente, e do Todo-poderoso agir injustamente!’, diz Jó 34:10. Deus tem um propósito amoroso para os humanos. É por isso que Jesus nos ensinou a orar: “Nosso Pai nos céus,… venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” (Mateus 6:9, 10) Deus se importa tanto conosco que não mediu esforços para garantir o cumprimento de seu Propósito. — João 3:16.

A guerra e o sofrimento acabarão algum dia?

MOTIVO DA PERGUNTA: A guerra continua a tirar um número enorme de vidas humanas. Todos nós já passamos por algum tipo de sofrimento.
O QUE A BÍBLIA ENSINA:Deus diz que no futuro vai estabelecer paz na Terra inteira. Debaixo de seu Reino, um governo dos céus, as pessoas não “aprenderão mais a guerra”. Em vez disso, elas vão “forjar das suas espadas relhas de arado”. (Isa 2:4) Deus acabará com todo tipo de injustiça e sofrimento. A Bíblia promete: “[Deus] enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores [incluindo as injustiças e o sofrimento de hoje] já passaram.” — Revelação (Apocalipse) 21:3, 4.
Veja também Salmo 37:10, 1146:9; e Miquéias 4:1-4.

O que acontece depois da morte?

MOTIVO DA PERGUNTA: A maioria das religiões ensina que algo dentro da pessoa continua vivendo depois da morte do corpo. Algumas dizem que os mortos podem prejudicar os vivos e que Deus castiga os maus, condenando-os ao tormento eterno num inferno de fogo.
O QUE A BÍBLIA ENSINA:Ao morrer, os humanos deixam de existir. “Os mortos… não estão cônscios [ou: não sabem] de absolutamente nada”, diz Eclesiastes 9:5. Visto que os mortos não sabem nada, não sentem nada nem podem fazer nada, eles não podem prejudicar - nem ajudar - os vivos. — Salmo 146:3,4.
Veja também Gênesis 3:19 e Eclesiastes 9:610.

Há alguma esperança para os mortos?

MOTIVO DA PERGUNTA:Nós queremos viver. Queremos aproveitar a vida com aqueles que amamos. É natural desejarmos ver novamente as pessoas queridas que morreram.
O QUE A BÍBLIA ENSINA: A maioria das pessoas que morreram serão ressuscitadas. Jesus prometeu: “Os que estão nos túmulos… sairão.” (João 5:28, 29) De acordo com o propósito que Deus tinha no início, os ressuscitados para a vida na Terra viverão num paraíso. (Lucas 23:43) Nesse futuro prometido, as pessoas obedientes terão saúde perfeita e vida eterna. A Bíblia diz: “Os próprios justos possuirão a terra e residirão sobre ela para todo o sempre.” — Salmo 37:29.
Veja também Jó 14:14, 15Lucas 7:11-17; e Atos 24:15.

O que preciso fazer para Deus ouvir minhas orações?

MOTIVO DA PERGUNTA:Pessoas de praticamente todas as religiões fazem orações. Mas muitas delas acham que suas orações não são respondidas.
O QUE A BÍBLIA ENSINA:Jesus nos ensinou a evitar a repetição de palavras decoradas. Ele disse: “Ao orares, não digas as mesmas coisas vez após vez.” (Mateus 6:7) Se quisermos que Deus ouça nossas orações, temos de orar de um modo que ele aprova. Para isso, precisamos aprender qual é a vontade de Deus e então orar de acordo com essa vontade. Lemos em 1 João 5: 14: “Não importa o que peçamos segundo a sua vontade, ele nos ouve.”
Veja também Salmo 65:2João 14:614; e 1 João 3:22.

Como posso encontrar a felicidade?

MOTIVO DA PERGUNTA:Muitas pessoas acham que dinheiro, fama e beleza lhes trarão felicidade. Assim, elas se esforçam para conseguir essas coisas — e quando conseguem, percebem que não são felizes.
O QUE A BÍBLIA ENSINA:Jesus revelou o segredo da felicidade ao dizer: “Felizes os cônscios de [ou: os que reconhecem] sua necessidade espiritual.” (Mateus 5:3) A verdadeira felicidade só pode ser encontrada se dermos passos para satisfazer a maior de nossas necessidades: o desejo de saber a verdade sobre Deus e Seu propósito para nós. Essa verdade está na Bíblia. Conhecê-la pode nos ajudar a perceber o que é realmente importante e o que não é. Quando permitimos que a verdade da Bíblia oriente nossas decisões e atitudes, temos uma vida significativa. — Lucas 11:28.
Essas são respostas breves, da Bíblia, para seis perguntas. Gostaria de saber mais? Se estiver entre os ‘que reconhecem sua necessidade espiritual’, é claro que sua resposta é sim. Talvez você tenha outras perguntas como: ‘Se Deus se importa com as pessoas, por que tem permitido tanta maldade e tanto sofrimento durante tanto tempo? Como posso melhorar minha vida familiar?’ A Bíblia tem respostas satisfatórias a essas e a várias outras perguntas.
Mas muitas pessoas hoje não lêem a Bíblia. Acham que ela é um livro grande e às vezes difícil de entender. Gostaria de uma ajuda para encontrar as respostas na Bíblia? As Testemunhas de Jeová oferecem duas ferramentas que poderão ser úteis para você.
A primeira é o livro O Que a Bíblia Realmente Ensina?, escrito para ajudar pessoas que têm pouco tempo para procurar na Bíblia as respostas claras a perguntas importantes. A segunda é um curso bíblico gratuito. Alguém que mora perto de você, habilitado para ensinar a Bíblia, poderá ir à sua casa ou a outro lugar conveniente e, sem cobrar nada, passar alguns minutos toda semana conversando com você sobre a Bíblia. Milhões de pessoas no mundo todo já se beneficiaram desse curso. Muitas delas ficaram emocionadas ao chegar à conclusão: “Encontrei a verdade!”
Não há nada mais precioso a ser encontrado. A verdade da Bíblia nos liberta da superstição, da confusão e do medo doentio. Ela nos dá esperança, objetivo na vida e alegria. Jesus disse: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” — João 8:32.
Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved. 



ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

'Quando teu inimigo cai, não te alegres.' - Pro. 24:17


Ensine Seus Filhos

Timóteo — Pronto e disposto a servir

“VOCÊ está pronto?” Já lhe fizeram essa pergunta? — Bem, a pessoa que perguntou isso queria saber se você estavapreparado. Por exemplo, talvez ela quisesse dizer: ‘Já pegou seus livros de estudo? Já leu as lições?’ Como vamos ver, Timóteo estava pronto.
Timóteo também era disposto. Sabe o que isso significa? — Quando Timóteo foi convidado para servir a Deus, ele mostrou a mesma atitude de outro servo de Deus, que disse: “Eis-me aqui! Envia-me.” (Isaías 6:8) Por estar pronto e disposto a servir, Timóteo teve uma vida empolgante. Gostaria de ouvir sua história? —
Timóteo nasceu a centenas de quilômetros de Jerusalém, em Listra. Sua avó Lóide e sua mãe, Eunice, eram boas estudantes das Escrituras. Elas começaram a ensinar a Palavra de Deus a Timóteo quando ele ainda era bebê. — 2 Timóteo 1:5; 3:15.
É provável que, quando Timóteo ainda era adolescente, o apóstolo Paulo, junto com Barnabé, tenha visitado Listra na sua primeira longa viagem de pregação. Foi provavelmente nessa época que a mãe e a avó de Timóteo se tornaram cristãs. Gostaria de saber que problema Paulo e Barnabé enfrentaram? — Bem, pessoas que não gostavam dos cristãos atiraram pedras em Paulo, o derrubaram e o arrastaram para fora da cidade. Acharam que ele estava morto.
Os que acreditavam no que Paulo estava ensinando se ajuntaram em volta dele, e ele se levantou. No dia seguinte, Paulo e Barnabé foram embora de Listra, mas voltaram pouco tempo depois. Nessa ocasião, Paulo fez um discurso e disse aos discípulos: “Temos de entrar no reino de Deus através de muitas tribulações.” (Atos 14:8-22) Sabe o que Paulo queria dizer com isso? — Que outros causariam problemas aos que servem a Deus. Mais tarde, Paulo escreveu a Timóteo:  ‘Todos os que desejarem viver com devoção piedosa serão perseguidos.’ — 2 Timóteo 3:12; João 15:20.
Paulo e Barnabé voltaram para casa depois de saírem de Listra. Alguns meses mais tarde, Paulo escolheu Silas para viajar com ele e juntos voltaram a fim de encorajar os novos discípulos nos lugares que Paulo tinha visitado. Quando chegaram a Listra, Timóteo deve ter ficado muito feliz de ver Paulo novamente. Ele ficou mais feliz ainda quando foi convidado para viajar com Paulo e Silas. Timóteo aceitou o convite. Ele estava pronto e disposto a ir. — Atos 15:40–16:5.
Os três viajaram juntos, caminhando muitos quilômetros, e então pegaram um barco. Depois de desembarcar, foram a pé até Tessalônica. Ali, muitos se tornaram cristãos, mas outros ficaram furiosos e formaram uma turba. Paulo, Silas e Timóteo corriam perigo de vida, por isso partiram para a Bereia. — Atos 17:1-10.
Paulo estava preocupado com os novos irmãos em Tessalônica, então mandou Timóteo para lá novamente. Sabe por quê? — Mais tarde Paulo explicou aos cristãos em Tessalônica: ‘A fim de firmar e consolar vocês, para que ninguém ficasse desanimado.’ Sabe por que Paulo deu essa tarefa tão perigosa a Timóteo? — Bem, os opositores não conheciam Timóteo muito bem, e ele estava disposto a ir. Isso exigiu muita coragem! Como foi a visita? Quando voltou para onde Paulo estava, Timóteo contou como os tessalonicenses eram fiéis. Então, Paulo lhes escreveu: ‘Fomos consolados a respeito de vocês.’ — 1 Tessalonicenses 3:2-7.
Timóteo serviu com Paulo nos dez anos seguintes. Daí, Paulo foi preso em Roma, e Timóteo, que tinha acabado de sair da prisão, foi visitá-lo. Enquanto estava na prisão, Paulo escreveu uma carta aos filipenses, talvez usando Timóteo como secretário. Paulo disse: ‘Espero em breve enviar-lhes Timóteo, pois não tenho nenhum outro que seja tão fiel e que servirá melhor a vocês.’ — Filipenses 2:19-22; Hebreus 13:23.
Como essas palavras devem ter deixado Timóteo feliz! Paulo passou a amar muito a Timóteo, porque ele estava pronto e disposto a servir. Esperamos que você também esteja.
Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved.



ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A ira desune e gera conflitos. Quer mesmo isso?


Por que a paz mundial parece apenas um sonho?

A resposta da Bíblia

Os esforços humanos para trazer paz mundial têm falhado e sempre falharão por vários motivos:
  • Não compete ao homem dirigir os seus passos.” (Jeremias 10:23Nova Versão Internacional) Os humanos não foram criados com a capacidade ou o direito de governar a si mesmos. Por isso, eles nunca serão capazes de conseguir paz permanente.
  • Não ponham a sua confiança em pessoas importantes, nem confiem em seres humanos, pois eles são mortais e não podem ajudar ninguém. Quando eles morrem, voltam para o pó da terra, e naquele dia todos os seus planos se acabam.” (Salmo 146:3, 4Bíblia na Linguagem de Hoje) Os governantes, por mais bem-intencionados que sejam, não conseguem trazer soluções definitivas para as causas da guerra.
  • Nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de manejar. Pois os homens serão . . . ferozes, sem amor à bondade, traidores, teimosos, enfunados de orgulho.” (2 Timóteo 3:1-4) Nós vivemos nos “últimos dias” deste mundo mau, época em que a atitude geral das pessoas torna difícil conseguir a paz.
  • Ai da terra e do mar, porque desceu a vós o Diabo, tendo grande ira, sabendo que ele tem um curto período de tempo.” (Revelação [Apocalipse] 12:12) O Diabo, inimigo de Deus, ficou confinado à vizinhança da Terra e induz as pessoas a adotar seu espírito maligno. Enquanto ele for “o governante deste mundo”, nunca poderemos viver em paz. — João 12:31.
  • [O Reino de Deus] esmiuçará e porá termo a todos estes reinos [que se opõem a Deus], e ele mesmo ficará estabelecido por tempos indefinidos.” (Daniel 2:44) Nosso desejo de paz mundial não será satisfeito por nenhum governo humano. Somente o Reino de Deus fará isso. — Salmo 145:16.
  • Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved



ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Por que santos em nossa conduta?


Ensine valores morais a seus filhos

Loida, * uma mãe no México, diz: “As escolas distribuem preservativos, por isso os adolescentes acham que não tem problema nenhum em fazer sexo — desde que seja sexo ‘seguro’.”
Nobuko, uma mãe no Japão, diz: “Perguntei a meu filho o que ele faria se estivesse sozinho com sua namorada. Ele respondeu: ‘Não sei.’”
QUANDO seu filho ou sua filha eram pequenos, você fez alguma coisa para tornar sua casa mais segura para eles? Talvez tenha coberto tomadas, escondido objetos pontudos e bloqueado escadas — tudo pela segurança de seu filho.
Ah, se fosse assim tão fácil protegê-los quando são adolescentes! Suas preocupações agora são maiores, como por exemplo: ‘Será que meu filho vê pornografia?’ ‘Minha filha está envolvida com sexting, ou seja, enviando fotos obscenas de si mesma pelo celular?’ E a pergunta que os pais mais temem: ‘Meu filho é sexualmente ativo?’
É óbvio que controlar não é a solução. Nem mesmo Jeová usa esse método para fazer com que suas criaturas lhe obedeçam. Você, como pai ou mãe, também não deveria fazer isso. (Deuteronômio 30:19) Então, como pode ajudar seus filhos adolescentes a tomar decisões sábias em questões de moral? — Provérbios 27:11.
Uma medida básica que você pode tomar é ter várias conversas com eles sobre esse assunto. Comece quando são pequenos. * (Provérbios 22:6) Daí, quando entrarem na adolescência, continue tendo essas conversas. Você, como pai  ou mãe, deve ser a fonte principal de informações confiáveis para seu filho adolescente. “Muitas pessoas acham que preferimos falar de sexo com nossos amigos”, diz Alicia, uma jovem da Grã-Bretanha, “mas isso não é verdade. Preferimos que nossos pais nos falem sobre esse assunto. Confiamos no que eles têm a dizer”.
Deixe claro quais são seus valores.
TENTE O SEGUINTE: Use algo que você viu no noticiário para iniciar uma conversa com seu filho e passar seus valores. Por exemplo, se a notícia for sobre um crime sexual, você pode dizer: “É um absurdo a maneira como alguns homens tentam se aproveitar das mulheres. De onde você acha que eles tiram essas ideias?”

Ensine toda a verdade sobre sexo.

Alertas são necessários. (1 Coríntios 6:18; Tiago 1:14, 15) No entanto, a Bíblia descreve primeiramente o sexo como um presente de Deus, não como uma armadilha de Satanás. (Provérbios 5:18, 19; Cântico de Salomão 1:2) Falar a seus filhos adolescentes apenas sobre os perigos relacionados ao sexo pode fazer com que eles tenham uma visão distorcida e antibíblica do assunto. “Meus pais destacavam muito a imoralidade sexual”, diz Corrina, uma jovem na França, “e isso me fez ter uma atitude negativa para com as relações sexuais”.
TENTE O SEGUINTE: Na próxima vez que você conversar com seu filho adolescente sobre sexo, termine a conversa num tom positivo. Não tenha medo de dizer que o sexo é um maravilhoso presente de Deus que ele poderá ter no futuro quando se casar. Transmita confiança de que, até esse tempo chegar, ele conseguirá se apegar aos padrões de Deus.
Ajude seu filho a avaliar as consequências.
TENTE O SEGUINTE: Use ilustrações para ajudar seu filho a ver a sabedoria das normas de Deus. Por exemplo, você pode dizer: “O fogo, quando usado para cozinhar, é bom; mas numa floresta ele é ruim. Qual é a diferença entre os dois, e como sua resposta se aplica aos limites que Deus estabeleceu com respeito ao sexo?” Use o relato deProvérbios 5:3-14 para ajudar seu filho a entender as consequências da fornicação.
É bom que os adolescentes saibam que essa luta tem um lado positivo. Ela pode fazer com que eles meditem no tipo de pessoa que querem ser. Pode ajudá-los a pensar seriamente na pergunta: ‘Quero ter o controle da minha vida e ser conhecido como alguém que tem caráter e integridade, ou como alguém que segue a maioria — uma pessoa fraca que se entrega aos desejos?’ Ter bons valores morais ajudará seu filho a responder a essa pergunta com sabedoria.
Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved. 




ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

"Tu te deleitarás em Jeová" Sabe por que?

VOCÊ ENCARA O PRÓPRIO DEUS COMO PAI?


“SENHOR, ensina-nos a orar.” Em resposta a esse pedido de um discípulo, Jesus disse: “Sempre que orardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome.’” (Luc. 11:1, 2) Jesus poderia ter se referido a Jeová usando títulos impressionantes, como “Todo-poderoso”, “Grandioso Instrutor”, “Criador”, “Antigo de Dias” e “Rei da eternidade”. (Gên. 49:25Isa. 30:2040:28Dan. 7:91 Tim. 1:17) Mas Jesus escolheu o termo “Pai”. Por quê? Talvez porque ele deseja que nos aproximemos do mais alto Personagem do Universo, assim como uma humilde criança se aproxima de um pai amoroso.
Para encararmos a Jeová como Pai, é preciso conhecê-lo bem. “Ninguém conhece plenamente o Filho, exceto o Pai”, disse Jesus, acrescentando: “Tampouco há quem conheça plenamente o Pai, exceto o Filho e todo aquele a quem o Filho estiver disposto a revelá-lo.” (Mat. 11:27) Uma ótima maneira de conhecer a Jeová como Pai é refletir sobre o que Jesus revelou sobre o Deus verdadeiro. Assim sendo, o que Jesus tornou conhecido a respeito do Pai?
A maior demonstração do amor de Deus pela humanidade foi a provisão do sacrifício de resgate de Jesus. Esse ato de amor possibilita a humanos pecaminosos terem uma estreita relação com Jeová por meio de seu amado Filho. (Rom. 5:121 João 4:9, 10) E, visto que nosso Pai celestial sempre cumpre suas promessas, é certo que todos os que o amam e obedecem por fim terão “a liberdade gloriosa dos filhos de Deus”. — Rom. 8:21.
Nosso Pai celestial também proveu um “ajudador” — seu espírito santo. Ele “vos guiará a toda a verdade”, disse Jesus. (João 14:15-1716:12, 13) O espírito santo de Deus pode nos guiar a um entendimento melhor a respeito de nosso Pai. Pode nos ajudar a demolir “coisas fortemente entrincheiradas”, isto é, noções preconcebidas, ideias erradas, ou conceitos distorcidos, trazendo assim “todo pensamento ao cativeiro, para fazê-lo obediente ao Cristo”. (2 Cor. 10:4, 5) Portanto, oremos a Jeová pedindo esse prometido “ajudador”, confiantes de que “o Pai, no céu, dará espírito santo aos que lhe pedirem”. (Luc. 11:13) É apropriado também orar pela ajuda do espírito santo para nos achegar ainda mais a Jeová.
Uma criança se sente segura e confiante ao andar de mãos dadas com seu pai. Se você realmente encara a Jeová como Pai, pode confiar nestas palavras consoladoras: “Eu, Jeová, teu Deus, agarro a tua direita, Aquele que te diz: ‘Não tenhas medo. Eu mesmo te ajudarei.’” (Isa. 41:13) Você poderá ter o privilégio maravilhoso de ‘andar’ com Deus para sempre. (Miq. 6:8) Continue a fazer a vontade divina e sinta o amor, a alegria e a segurança resultantes de encarar a Jeová como Pai.


Publicado em A Sentinela  de 15 de fevereiro de 2010




ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS


domingo, 26 de agosto de 2012

O que significa refugiar-se no nome de Deus?


O REAL MOTIVO
para se acreditar em Deus

O LIVRO coreano 31 Reasons Why Young People Leave the Church (31 Razões por que os Jovens Abandonam a Igreja) afirma que muitos deixam de ir à igreja por não obterem respostas satisfatórias às suas perguntas. Por exemplo, eles perguntam: ‘Por que os que crêem em Deus sofrem?’ e ‘Por que temos de aceitar tudo o que as igrejas ensinam, quando muitos dos ensinos são confusos e contraditórios?’
Desapontados com as respostas dadas pelos clérigos, muitos concluem que não há resposta na Bíblia. Quando um clérigo dá uma explicação baseada apenas na sua opinião pessoal, isso muitas vezes resulta em divergências e até mesmo em se rejeitar a Deus e a Bíblia.
Isso se deu com Abel, criado como luterano na África do Sul. Ele se lembra: “A igreja ensina que todos os que morrem são ‘levados’ por Deus. Mas eu não conseguia entender por que um Deus de amor ‘levaria’ os pais, tirando-os dos filhos. Na África rural, onde me criei, nós não matávamos uma galinha até que os seus pintinhos tivessem crescido. Quando descobríamos que uma vaca estava prenhe, adiávamos o abate dela até que a sua cria fosse desmamada. Eu não conseguia compreender por que um Deus amoroso não tinha a mesma consideração para com os seres humanos.”
Aram, um canadense, tinha dúvidas similares. “Quando eu tinha 13 anos de idade, meu pai faleceu”, conta ele. “No serviço fúnebre, um sacerdote de destaque explicou que Deus queria que meu pai falecesse para ficar mais perto Dele no céu. ‘Deus leva embora os bons’, disse ele, ‘porque ama os justos’. Eu não entendia como Deus podia ser tão egoísta.”
Com o tempo, tanto Abel como Aram entraram em contato com as Testemunhas de Jeová, estudaram a Bíblia com elas e, por fim, encontraram as respostas que queriam. Passaram a amar a Deus e a ter uma forte fé nele. Depois, dedicaram a sua vida a Jeová e se tornaram seus servos leais.

O conhecimento exato é a chave para se acreditar em Deus

O que podemos aprender dessas experiências? Elas nos mostram que, para se crer em Deus, é essencial obter da Bíblia um conhecimento exato. O apóstolo Paulo disse aos cristãos na antiga cidade de Filipos: “Isto é o que continuo a orar: que o vosso amor abunde ainda mais e mais com conhecimento exato e pleno discernimento.” (Filipenses 1:9) Paulo relacionou aqui o amor a Deus e aos concrentes com o conhecimento exato de Deus e o discernimento de sua vontade.
Isso é razoável, visto que o primeiro requisito para se confiar em alguém é conhecê-lo — quanto mais e melhor o conhecermos, maior será nossa confiança. De modo similar, você precisa ter conhecimento exato para ser motivado a crer em Deus. “A fé é a expectativa certa de coisas esperadas, a demonstração evidente de realidades, embora não observadas”, disse Paulo. (Hebreus 11:1) Acreditar em Deus sem conhecimento exato da Bíblia é como um castelo de cartas. Basta um sopro para fazê-lo desmoronar.
Estudar a Bíblia pode ajudá-lo a encontrar respostas a perguntas tais como aquela que por muito tempo deixou Abel e Aram intrigados. Por que as pessoas morrem? A Bíblia explica que “por intermédio de um só homem entrou o pecado no mundo, e a morte por intermédio do pecado, e assim a morte se espalhou a todos os homens, porque todos tinham pecado”. (Romanos 5:12) Os humanos envelhecem e morrem, não porque Deus os leva para ficarem com ele, mas porque Adão pecou. (Gênesis 2:16, 173:617-19) Além disso, a Bíblia revela a verdadeira esperança que Jeová Deus oferece. Por meio do seu Filho, Jesus Cristo, ele oferece à humanidade pecaminosa a esperança duma ressurreição. — João 5:28, 29Atos 24:15.
A fim de entendermos a verdade sobre a ressurreição, o registro bíblico contém diversos exemplos de pessoas que Jesus fez reviver. (Lucas 7:11-178:40-56João 11:17-45) Ao ler esses relatos bíblicos, atente para a alegria e o contentamento dos amigos e da família dos ressuscitados. Note também que eles se sentiram induzidos a louvar a Deus e a ter fé em Jesus.
O conhecimento exato sobre Deus e seus propósitos pode ter hoje o mesmo efeito sobre as pessoas. Anteriormente, muitas delas se sentiam confusas, oprimidas e mesmo perplexas por causa de questões importantes para as quais não conseguiam encontrar respostas satisfatórias. Mas, ao estudarem a Bíblia, encontraram as respostas, e isso mudou completamente a sua vida.

O amor a Deus é o motivo principal paraservi-lo

Embora o conhecimento exato seja essencial para se ter fé em Deus, é preciso mais para motivar alguém a obedecer-lhe e servi-lo. Quando se perguntou a Jesus qual era o maior mandamento de Deus, ele disse: “Tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de toda a tua mente, e de toda a tua força.” (Marcos 12:30) Quem ama a Deus assim como Jesus indicou, desejará de coração obedecer-Lhe e servi-Lo. Dá-se isso com você?
Rachel, que serviu como missionária por várias décadas na Coréia, apresenta o seguinte motivo para a sua fé: “Penso na generosidade de Jeová para com as suas criaturas, no seu perdão ao lidar com o seu povo, bem como no seu desejo de nos beneficiar deixando-nos saber o que ele quer de nós. Tudo isso aumenta meu amor a Deus. E esse amor me faz querer servi-lo.”
Martha, uma viúva na Alemanha, serve a Jeová por 48 anos. Ela diz: “Por que sirvo a Jeová? Porque o amo. Toda noite falo a Jeová em oração e digo-lhe como sou profundamente grata por todas as suas bênçãos, especialmente pelo sacrifício resgatador.”
Sim, o amor a Deus faz com que queiramos servi-lo de todo o coração. Mas como é possível desenvolver tal amor? O estímulo mais forte para se cultivar o amor a Deus é o profundo apreço pelo amor que ele nos demonstrou. Note este animador lembrete da Bíblia: “Quem não amar, não chegou a conhecer a Deus, porque Deus é amor. Por meio disso é que se manifestou o amor de Deus em nosso caso, porque Deus enviou o seu Filho unigênito ao mundo, para que ganhássemos a vida por intermédio dele. O amor é neste sentido, não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou e enviou seu Filho como sacrifício propiciatório pelos nossos pecados.” — 1 João 4:8-10.
Reconhece como é grande esse amor? Imagine que se estivesse afogando num rio de águas agitadas e um homem arriscasse a vida para salvá-lo. Será que se esqueceria dele, ou lhe ficaria extremamente grato? Não estaria disposto a fazer tudo o que pudesse para essa pessoa? O amor mostrado por Deus ao prover seu Filho, Jesus Cristo, como sacrifício resgatador é incomparavelmente maior. (João 3:16Romanos 8:38, 39) Quando o amor de Deus toca o seu íntimo, você se sente motivado a amá-lo e a servi-lo de todo o coração.

Bênçãos agora e no futuro

Embora o amor a Deus deva ser o principal motivo de fazermos a sua vontade, é animador saber que Deus recompensa os que o servem. O apóstolo Paulo salientou o seguinte: “Sem fé é impossível agradar-lhe bem, pois aquele que se aproxima de Deus tem de crer que ele existe e que se torna o recompensador dos que seriamente o buscam.” — Hebreus 11:6.
Os que amam a Deus e lhe obedecem são realmente abençoados por ele. Muitos têm saúde melhor por acatarem princípios bíblicos. (Provérbios 23:20, 21;2 Coríntios 7:1) Os que aplicam os princípios referentes à honestidade e à diligência em geral têm a confiança dos seus patrões e por isso gozam de mais segurança econômica. (Colossenses 3:23) Os servos de Deus, por confiarem em Jeová, são abençoados com paz mental, mesmo em circunstâncias provadoras. (Provérbios 28:25;Filipenses 4:6, 7) Acima de tudo, aguardam confiantemente a bênção da vida eterna no vindouro Paraíso terrestre. — Salmo 37:1129.
Como se sentem a respeito de Jeová os que recebem dele tais bênçãos? Jacqueline, uma cristã no Canadá, expressou seu apreço por Deus: “Ele sempre nos dá maravilhosas dádivas, e nos dá a esperança de vida eterna.” Abel, já mencionado, descreve seus sentimentos do seguinte modo: “A perspectiva de viver para sempre numa Terra paradísica foi novidade para mim, mas agora espero por isso. No entanto, mesmo que não houvesse Paraíso, ainda me daria prazer mostrar meu amor a Deus por servi-lo.”

Você também pode ter verdadeira fé

“Jeová dos exércitos está julgando com justiça; ele examina os rins e o coração”, diz a Bíblia. (Jeremias 11:20) Jeová realmente examina o que há no mais íntimo do nosso ser. Cada um deve examinar por que crê em Deus. Crenças e conceitos errôneos sobre Deus podem ter contribuído no passado para ações erradas. Mas o conhecimento exato da Bíblia pode levar a um relacionamento correto com o Criador, Jeová Deus. —1 Timóteo 2:3, 4.
As Testemunhas de Jeová, por meio do arranjo de estudos bíblicos domiciliares gratuitos, ajudam pessoas a obter um conhecimento exato sobre Deus. (Mateus 28:20) Muitos dos que aceitaram tal ajuda passaram a amar a Deus e a ter genuína fé nele. Por meio do estudo da Bíblia, obtiveram “sabedoria prática e o raciocínio”, que os ajudaram a ‘andar em segurança’ nestes dias perigosos. (Provérbios 3:21-23) Acima de tudo, eles têm agora uma esperança “tanto segura como firme” quanto ao futuro. (Hebreus 6:19) Você também pode ter verdadeira fé e receber essas bênçãos.




sábado, 25 de agosto de 2012

Não desvie do que aprendeu


Devemos viver
apenas para o dia de hoje?

“NUNCA penso no futuro. De qualquer maneira ele chegará.” Essas muito citadas palavras são atribuídas ao famoso cientista Albert Einstein. Muitos expressam idéias similares. “Por que se preocupar com o futuro?”, talvez digam. Ou é possível que já tenha ouvido pessoas dizerem: “Deixa a vida te levar”, “Pense só no dia de hoje”, “Esqueça o amanhã”, ou algo assim.
Naturalmente, essa atitude geral não é novidade. “Coma, beba, divirta-se. O resto não interessa”. Esse era o lema dos antigos epicureus. Algumas pessoas nos dias do apóstolo Paulo tinham um conceito similar. “Comamos e bebamos, pois amanhã morreremos”, diziam. (1 Coríntios 15:32) Acreditavam que esta vida curta é tudo o que temos, de modo que promoviam a idéia de que devemos aproveitá-la ao máximo.
“NÃO vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã”, disse Jesus Cristo num famoso discurso na encosta de um monte na Galiléia. Segundo a tradução Almeida, revista e corrigida, Jesus continuou: “O dia de amanhã cuidará de si mesmo.” — Mateus 6:34.
O que você acha que significa a expressão “o dia de amanhã cuidará de si mesmo”? Será que sugere que devemos viver apenas para o dia de hoje e ignorar o amanhã? Era realmente nisso que Jesus e seus seguidores acreditavam?
Leia na íntegra as palavras de Jesus em Mateus 6:25-32, onde ele disse, em parte: “Parai de estar ansiosos pelas vossas almas, quanto a que haveis de comer ou quanto a que haveis de beber, ou pelos vossos corpos, quanto a que haveis de vestir. . . . Observai atentamente as aves do céu, porque elas não semeiam nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as alimenta. . . . Quem de vós, por estar ansioso, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? Também no assunto do vestuário, por que estais ansiosos? Aprendei uma lição dos lírios do campo, como eles crescem; não labutam nem fiam . . . Portanto, nunca estejais ansiosos, dizendo: ‘Que havemos de comer?’ ou: ‘Que havemos de beber?’ ou: ‘Que havemos de vestir?’ Porque todas estas são as coisas pelas quais se empenham avidamente as nações. Pois o vosso Pai celestial sabe que necessitais de todas essas coisas.”
Jesus concluiu essa parte do discurso com duas exortações. A primeira: “Persisti, pois, em buscar primeiro o reino [de Deus] e a Sua justiça, e todas estas outras coisas vos serão acrescentadas.” A segunda: “Nunca estejais ansiosos quanto ao dia seguinte, pois o dia seguinte terá as suas próprias ansiedades. Basta a cada dia o seu próprio mal.” — Mateus 6:33, 34.

Não cometa o mesmo erro do homem da parábola de Jesus. Descubra o que Deus tem em reserva para o amanhã e faça sua vida girar em torno disso. Deus não deixou os humanos sem noção do que ele fará. “O Soberano Senhor Jeová”, escreveu o antigo profeta Amós, “não fará coisa alguma sem ter revelado seu assunto confidencial aos seus servos, os profetas”. (Amós 3:7) As revelações de Jeová feitas por meio de seus profetas se acham na Sua Palavra inspirada, a Bíblia. — 2 Timóteo 3:16, 17.
Uma das revelações da Bíblia diz respeito ao que acontecerá no futuro próximo, algo que afetará a Terra inteira numa escala sem precedentes. Jesus disse: “Haverá grande tribulação, tal como nunca ocorreu desde o princípio do mundo até agora.” (Mateus 24:21) Nenhum ser humano pode impedir esse acontecimento. De fato, não há razão para os adoradores verdadeiros quererem impedi-lo. Por quê? Porque tal acontecimento removerá da Terra todo o mal, abrindo caminho para “um novo céu e uma nova terra”, ou seja, um novo governo celestial e uma nova sociedade terrestre. Nesse novo mundo, Deus “enxugará dos [olhos das pessoas] toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor”. — Revelação (Apocalipse) 21:1-4.
Assim sendo, não acha que vale a pena tirar tempo para examinar o que a Bíblia diz sobre esse futuro?

Publicado em A Sentinela  de 15 de outubro de 2007




ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Você é seduzível?


Qual foi o pecado original?


ESSA pergunta é muito importante para nós. Por quê? Porque a desobediência de Adão e Eva a Deus afetou todas as gerações até os nossos tempos. A Bíblia diz: “Por intermédio de um só homem entrou o pecado no mundo, e a morte por intermédio do pecado, e assim a morte se espalhou a todos os homens, porque todos tinham pecado.” (Romanos 5:12) Mas como o simples ato de pegar e comer uma fruta de uma árvore resultou em conseqüências tão trágicas?
Quando Deus criou Adão e Eva, colocou-os num lindo jardim, repleto de verduras, hortaliças e árvores frutíferas. Apenas uma árvore lhes era proibida — a “árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau”. Tendo livre-arbítrio, Adão e Eva podiam escolher obedecer a Deus ou desobedecer-lhe. Mas Adão foi avisado de que ‘no dia em que comesse da árvore do conhecimento, positivamente morreria’. — Gênesis 1:292:17.

Uma restrição razoável

Essa única restrição não causava privações a Adão e Eva; eles podiam comer de todas as outras árvores do jardim. (Gênesis 2:16) Além disso, a proibição não atribuía má motivação ao casal nem lhes tirava a dignidade. Se a restrição envolvesse coisas repugnantes como a bestialidade ou o assassinato, alguns poderiam afirmar que os humanos perfeitos tinham certas inclinações ruins que precisavam ser restringidas. Comer, porém, era natural e apropriado.
Era o fruto proibido as relações sexuais, como alguns têm afirmado? As Escrituras não apóiam essa idéia. Primeiro porque, quando Deus estabeleceu a proibição, Adão estava sozinho e evidentemente continuou assim por um tempo. (Gênesis 2:23) Segundo, Deus mandou que Adão e Eva ‘fossem fecundos, se tornassem muitos e enchessem a terra’. (Gênesis 1:28) É claro que Deus não os mandaria violar sua lei e depois os sentenciaria à morte por fazerem isso. (1 João 4:8) Terceiro, Eva comeu do fruto antes de Adão e depois o deu também a seu esposo. (Gênesis 3:6) Fica claro que o fruto proibido não era o sexo.

Tentativa de conseguir independência moral

A árvore do conhecimento era uma árvore de verdade. No entanto, ela representava o direito de Deus, como Legislador, de decidir o que é bom e o que é mau para suas criaturas humanas. Portanto, comer da árvore não era apenas um roubo — tomar algo que pertencia a Deus —, mas era também uma tentativa presunçosa de conseguir autodeterminação, ou independência moral. Observe que logo depois de mentir a Eva, dizendo que ela e seu marido ‘positivamente não morreriam’ se comessem do fruto, Satanás afirmou: “Porque Deus sabe que, no mesmo dia em que comerdes dele, forçosamente se abrirão os vossos olhos e forçosamente sereis como Deus, sabendo o que é bom e o que é mau.” — Gênesis 3:4, 5.
Entretanto, quando comeram do fruto, Adão e Eva não obtiveram esclarecimento igual ao de Deus sobre o que é bom e o que é mau. De fato, Eva disse a Deus: “A serpente — ela me enganou.” (Gênesis 3:13) Mas Eva conhecia a ordem de Deus, tanto que a repetiu para a serpente, que foi usada por Satanás como seu porta-voz. (Revelação [Apocalipse] 12:9) Assim, sua atitude foi de desobediência deliberada. (Gênesis 3:1-3) Adão, por outro lado, não foi enganado. (1 Timóteo 2:14) Em vez de obedecer lealmente ao seu Criador, ele ouviu sua esposa, preferindo também seguir um proceder independente. — Gênesis 3:617.
O fruto proibido não eram as relações sexuais
Ao declarar sua independência, Adão e Eva prejudicaram de modo irreparável seu relacionamento com Jeová e gravaram em si mesmos, diretamente em seus genes, a marca do pecado. É verdade que eles viveram centenas de anos, mas começaram a morrer “no dia” em que pecaram, assim como acontece a um galho que é cortado duma árvore. (Gênesis 5:5) Além disso, pela primeira vez, eles se sentiram angustiados. Perceberam que estavam nus e tentaram se esconder de Deus. (Gênesis 3:7, 8) Também sentiram culpa, insegurança e vergonha. O pecado produziu uma agitação dentro deles: era sua consciência os acusando do proceder errado.
A fim de cumprir sua palavra e se apegar aos seus padrões sagrados, Deus foi justo ao sentenciar Adão e Eva à morte e expulsá-los do jardim do Éden. (Gênesis 3:1923, 24) Desse modo, o Paraíso, a felicidade e a vida eterna foram perdidos, dando lugar ao pecado, ao sofrimento e à morte. Que tragédia para a humanidade! Entretanto, imediatamente após sentenciar o casal, Deus prometeu, sem comprometer seus padrões justos, reverter todo o dano causado pelo pecado deles.
Jeová decidiu tornar possível que a descendência de Adão e Eva fosse liberta do pecado e da morte. Ele realizou isso por meio de Jesus Cristo. (Gênesis 3:15Mateus 20:28;Gálatas 3:16) Por intermédio dele, Deus eliminará o pecado e todos os seus efeitos e transformará a Terra num paraíso global, exatamente como ele intencionou no início. — Lucas 23:43João 3:16.
Publicado em Despertai!  de junho de 2006





ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS