Google+ Followers

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O futuro que reservamos para nós...



Os que se dedicam plenamente aos serviços sagrados são os que fazem sacrifícios que Jesus Cristo prometeu, como garantia, que fariam parte de uma fraternidade espiritual.
Isso é se preparar para o futuro!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Chegar-me a Deus é bom para mim. -Sal. 73:28

Não podemos usufruir plenamente os benefícios de ser membros da família de Jeová sem fazer um voto de dedicação. Portanto, nós nos dedicamos a Deus porque, embora imperfeitos, desejamos pertencer a ele, decididos a ser leais venha o que vier. (Mat. 22:37) Dedicar-se a deus é um ato de fé. Por que? A fé em Jeová nos faz ter certeza de que nos achegar a ele é bom para nós. Sabemos que nem sempre será fácil andar com Deus vivendo em meio a uma "geração pervertida e deturpada", mas confiamos na promessa divina de apoiar os nossos esforços. (Fil. 2:15; 4:13) Sabemos que somos imperfeitos, mas confiamos que Jeová será misericordioso conosco, mesmo quando cometermos erros. (Sal. 103:13, 14; Rom. 7:21-25) Temos fé que Jeová recompensará a nossa determinação de manter a integridade. _ Jó 27:5. w10 15/1 1:14, 15

                                                                                Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados


domingo, 13 de novembro de 2011

A Palavra de Deus é viva e exerce poder. -Heb 4:19

Como é poderosa a palavra, ou mensagem, de Deus! Em sentido figurado, a mensagem da Bíblia é mais afiada do que qualquer espada de fabricação humana, pois simbolicamente penetra até a divisão dos ossos e sua medula. ou seja, as verdades bíblicas atingem o interior da pessoa e penetram nos seus pensamentos e emoções, expondo o que ela de fato é no íntimo. Essas verdades podem exercer seu poder transformador e causar genuínas mudanças na pessoa. (Col. 3:10) Sim, a Palavra de Deus pode mudar vidas! Além do mais, a Bíblia é um livro de sabedoria inigualável. Ela contém informações úteis que podem ensinar às pessoas como viver neste mundo complexo. (Sal. 119:105) Ela é de enorme ajuda para lidar com problemas ou tomar decisões sobre amizades, diversão, empregos, roupas, e assim por diante. _ Sal. 37:25; Pro. 13:20; João 15:14; 1 Tim. 2:9. w10 15/2 2:4,5

                                                                                                   Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados

Examine as Escrituras diariamente

Estarmos adequadamente habilitados procede de Deus. -Heb. 4: 12.

Como ministro ordenado, você tem um ministério a cumprir. (Rom. 10: 14) Talvez não se sinta plenamente qualificado para arcar com tal responsabilidade. Mas, como no caso dos ungidos, é deus quem habilita você. Você pode viver à altura de sua dedicação por dar o seu melhor e confiar no espírito de Deus. É verdade que não é fácil para nós, humanos imperfeitos, viver à altura de nossa dedicação ao nosso Deus perfeito, Jeová. Um agravante é que alguns de seus antigos amigos se intriguem com seu novo modo de vida e 'falem de você de modo ultrajante'. (1 Pe. 4: 4) Mas não se esqueça que você cultivou novas amizades, as mais importantes sendo jeová e jesus Cristo. (Tia. 2:21-23) É vital também procurar conhecer os irmãos na congregação local, que é parte da "associação inteira dos irmãos" no mundo. _ 1 Pe.2:17;Pro. 17:17. w10 15/3 2:14, 15

                                                                             Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados

sábado, 22 de outubro de 2011

Examine as Escrituras diariamente

Quer vivamos, vivemos para Jeová, quer morramos, morremos para Jeová. — Rom. 14:8.

Assim como a boa reputação de um cirurgião pode aumentar nossa confiança nele, a nossa confiança em Jeová aumentará à medida que aprendermos mais a seu respeito. Portanto, nós continuamos a estudar cuidadosamente a Palavra de Deus porque isso
nos ajuda a amar a Jeová de um modo que afasta qualquer receio de lhe pertencer. (1 João 4:18) Jeová oferece liberdade de escolha para todos. A sua Palavra diz: “Tens de escolher a vida para ficar vivo, tu e tua descendência, amando a Jeová, teu Deus.” (Deut. 30:19, 20) Ele deseja que expressemos o nosso amor a ele por servi-lo de livre e espontâanea vontade. Emvez de nos privar da liberdade, pertencer ao Deus que amamos com certeza nos fará e manterá felizes. Como pecadores, não merecemos pertencer a um Deus perfeito. Isso é possível apenas por causa da bondade imerecida de Deus. — 2 Tim. 1:9. w10 15/1 2:17-19



Examine as Escrituras diariamente

[A] vontade [de Deus] é que toda sorte de homens sejam salvos e venham a ter um conhecimento exato da verdade. — 1 Tim. 2:4.

Nós nos empenhamos numa campanha para ajudar as pessoas a se libertarem de falsos ensinos religiosos e até mesmo da idolatria. No nosso ministério de casa em casa encontramos todo tipo de pessoas. Uma jovem asiática lembra-se dos rituais
que sua mãe realizava na frente de muitas imagens em sua casa. Concluindo que nem todas as imagens poderiam representar o Deus verdadeiro, a jovem sempre orava para que pudesse conhecer Sua verdadeira identidade. Certo dia, ao atender à porta
de sua casa, ela se deparou com duas Testemunhas de Jeová  dispostas a ajudá-la a aprender o distinto nome do Deus verdadeiro, Jeová. E ficou muitíssimo grata por aprender a verdade sobre os ídolos! Agora ela participa com notável zelo e diligência no serviço de campo, ajudando outros espiritualmente. — Sal. 83:18; 115:4-8; 1 João 5:21. w09 15/6 2:6



Examine as Escrituras diariamente

Sempre [estai] prontos para fazer uma defesa perante todo aquele que reclamar de vós uma razão para a esperança [que há] em vós. — 1 Ped. 3:15.

‘Manejar corretamente a palavra da verdade’ significa mais do que explicar verdades bíblicas com precisão. (2 Tim. 2:15)Devemos ter o cuidado de não usar a Bíblia para intimidar as pessoas.
Embora possamos usar as Escrituras para defender a verdade, como Jesus fez quando foi tentado pelo Diabo, a Bíblia não é um porrete para golpear nossos ouvintes. (Deut. 6:16; 8:3; 10:20; Mat. 4:4, 7, 10) Se for manejada corretamente, o que a verdade
da Palavra de Deus pode realizar? (2 Cor. 10:4, 5) A verdade bíblica pode demolir “coisas fortemente entrincheiradas”, isto é, expor doutrinas falsas, práticas
prejudiciais e filosofias que refletem a imperfeita sabedoria humana. Podemos usar a Bíblia para eliminar qualquer idéia “levantada contra o conhecimento de Deus”. Os ensinos bíblicos podem ser usados para ajudar outros a harmonizar seu modo de
pensar coma verdade. w10 15/2 2:11, 12



terça-feira, 18 de outubro de 2011

Examine as Escrituras Diariamente


Teu Deus, a quem serves com constância, ele mesmo te salvará. — Dan. 6:16.


O profeta Daniel demonstrou a importância da regularidade na adoração. (Dan. 6:4-10, 19-22)
Ele não mudou sua rotina espiritual (de orar a Deus “três vezes por dia, . . . assim como havia feito regularmente antes disso”) nem mesmo por um mês, embora isso significasse ser lançado na
cova dos leões. As suas ações indicaram com muita clareza aos observadores que nada era mais
importante do que adorar regularmente a Jeová. (Mat. 5:16) Daniel preferia morrer a negligenciar sua rotina espiritual. Que dizer de nós? Que sacrifícios estamos fazendo, ou estamos dispostos a fazer, para declarar as boas novas do Reino de Deus com constância? Sim, não devemos nos esforçar em participar no ministério cada semana? w10 15/2 3:14, 16
 

Mensagens inspiradoras 2011-5

Há mais felicidade em dar do que há em receber.
— Atos 20:35.
Não existe área de conhecimento mais preciosa ou mais importante do que a das boas novas.
Elas são uma dádiva inestimável que nos dá grande alegria. E essa alegria aumenta quando partilhamos essa dádiva com outros.
O que você pode fazer para aumentar ainda mais seu amor pelas boas novas? Ao ler a Palavra de Deus, pause de vez em quando
para refletir sobre o que você está lendo. Por exemplo, imagine como seria acompanhar Jesus no seu ministério terrestre ou viajar com o  apóstolo Paulo.
Ou imagine-se no novo mundo e visualize como a vida será diferente.
Reflita sobre os benefícios que a sua obediência às boas novas lhe tem proporcionado. Se seu amor pelas boas novas continuar forte, aqueles a quem você ensina perceberão isso. Por bons motivos, portanto, devemos ‘ponderar’ sobre o que aprendemos e  ‘prestar atencão ao nosso ensino’.
— 1 Tim. 4:15, 16.
w09 15/7 3:13, 14

sábado, 8 de outubro de 2011

Texto diário

'Todos juntos... falaram a palavra de Deus com denodo.' - Atos 4:31
-A obra de proclamar o Reino que Deus nos encarregou de realizar, é um privilégio sem igual. No entanto, tem seus desafios. Enquanto alguns aceitam prontamente as boas novas do Reino de Deus, muitos agem como os que viviam nos dias de Noé. Eles "não fizeram caso, até que veio o dilúvio e os varreu a todos", disse Jesus (Mat. 24:38, 39). Há também os zombadores ou opositores (2Pe.3: 3). A oposição pode partir de autoridades, colegas de escola ou de trabalho, ou até mesmo de familiares íntimos. Acrescente-se a isso as nossas fraquezas pessoais, como timidez e medo de ser rejeitado. Muitos fatores podem dificultar nossa "franqueza no falar" a palavra de Deus com "denodo". (Efé. 6: 19,20) Falar com denodo não significa ser rude ou grosseiro. (Col. 4:6) Além de destemidos queremos ser pacíficos com todos - Rom. 12:18.
                                                                   Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados 
                                                                                                                                                 

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

sábado, 20 de agosto de 2011

Formatura de Márcio 2








Alguns momentos da formatura de Márcio.

Formatura de Márcio

Deus abençoe o meu irmão que, sendo o caçula da família, sempre nos motivou a cumprir metas.
Um homem jovem que, apesar de seus poucos anos sempre lutou por seus direitos e pelo bem do próximo.
Parabéns, irmão!
Toda a nossa família está feliz e satisfeita por você existir. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Manifestação na Av. Luís Eduardo Magalhães em 17- 08- 2011










Manifestação em prol da segurança da comunidade do São Gonçalo do Retiro contra assaltantes motorizados, na Av. Luís E. Magalhães, que é prática constante, e contra o mau policiamento na área, onde moradores são agredidos moralmente.
Os manifestantes falavam palavras de ordem como: 'Queremos nossa creche e nossa Igreja de volta' e também: 'queremos a volta à área de lazer', além de pedido de paz e proteção pela Polícia Cidadã, como a que foi enviada para assegurar o bem-estar dos manifestantes pelo atual Comandante Coronel Alfredo Braga de Castro da 23ª CIPM, que quis saber a respeito da manifestação, demonstrou interesse, conversou com as pessoas, deu conselho às crianças para continuarem e manterem os estudos... essa sim, é a Polícia prometida, a que queremos para ajudar a comunidade!
A manifestação contou ainda com a presença da Transalvador com duas viaturas, que permitiu a livre caminhada, numa passeata pela paz.
Lamentamos apenas o fato de que as emissoras convidadas não puderam comparecer, ao que nos dá a impressão de que esse tipo de notícia não se vende. Para eles deve ser pura perda de tempo. Eles e os políticos só aparecem quando tem algo de grandiosidade no interesse pessoal, mostra que a mídia hoje não é mais IMPARCIAL como dizem.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

A luta não pode parar

video
A luta continua.
Apesar de parceiros televisivos dos que nos condenam, não perdemos a esperança.
Não perdemos a esperança em Deus, que é louvor;
Não perdemos a esperança na Justiça, mesmo sendo essa justiça;
Não perdemos a esperança no homem, que é imagem e semelhança do Criador;
Não perdemos a esperança só porque esqueceram de nós;
Não perdemos a esperança só porque somos da periferia, nem porque a polícia invade aqui para oprimir e humilhar os moradores.
Enfim, não vamos perder a esperança mesmo porque é o único meio possível de sobrevivência no mundo que tentamos deixar para os nossos.
Tentamos por todos os meios possíveis e legais continuar na área que há pouco mais de 10 anos cuidamos.
Nessa área crianças se tornaram homens de bem, profissionais, trabalhadores. Nessa área começou o sonho de muitas pessoas.
Vimos crianças se orgulharem por poder, a partir dessa área, doarem alimentos a pessoas mais necessitadas do que eles mesmos; vimos o sorriso nos seus rostos ao darem o que eles mesmos não tinham, só pelo prazer de fazer alguém feliz.
Vimos pais e mães, com seus filhos vendendo frutas, água mineral, suco, lanches... para sobreviverem honestamente.
Vimos um bairro unido por terem afazeres em conjunto, uma comunidade pacífica e ajudadora porque é bom ter e poder ajudar ao próximo.
                                                                               ...
Agora, gente, pasmem! Mas o que vemos aqui é o descontrole da violência que teimo em repetir que o que o Governo chama de estatística, para nós é DESGRAÇA. A desgraça e depreciação de uma comunidade desrespeitada principalmente por quem devia nos proteger, pois vivem às custas do nosso sofrimento e do descaso que nos assola. Quem é pago por nós para nos dar proteção, faz segurança privada para uma empresa que desrespeita ordem judicial, o Estatuto da criança e do adolescente e a comunidade onde quer erguer seu mais novo império.
Esse é um grito de socorro! Um grito que as pessoas de bairros próximos e distantes, que se deliciaram ao nos visitar, jogando futebol, contatando novos amigos, revendo antigos colegas e parentes, sabem do que estamos dizendo. Moradores de Fazenda Grande do Retiro, Mussurunga, Arraial do Retiro, Cabula e outros, sabem da nossa cordialidade, pois jogaram e passaram muitos domingos conosco. Nesse lugar que muitos discriminam, essas pessoas vieram e foram bem tratados e voltaram. Esse lugar, onde nunca, durante o período de 10 anos de Campeonatos e outras opções de lazer, nunca mesmo, precisou de um policiamento para desenvolvimento dos esportes praticados aqui, apesar de inúmeros ofícios protocolados onde requeremos presença da polícia. Para nós e nesse tempo nunca foi possível a presença de sequer um policial, mas agora, e para a proteção da empresa que está prestes a ser erguida, a polícia aparece. Aparece e faz rondas excessivas ao local, apesar de moradores dessa pobre comunidade sofrerem com assaltos constantes de motoqueiros e outros ladrões em carros quando estão saindo para o trabalho.
Para nós ainda não houve Justiça.
Qual bairro em qual cidade e em qual país não possui uma área destinada ao lazer? São Gonçalo do Retiro. Só. Só nós aqui.
Tentamos fazer um acordo com os poderosos, onde ficaríamos só com uma área para um campinho de futebol e eles nos negaram.
Que egoísmo, meu Deus! Nunca, na história da humanidade tanta humilhação foi feita, nem nos tempos em que escravizaram africanos e índios.
Esperamos que pessoas interessadas no bem estar do próximo possam nos ajudar. Pessoas que possam e queiram ajudar 'os pobres' serão bem-vindas!
Felicidades pra vocês e pra nós também!
Amém!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Para simplesmente refletir


Por que é tão difícil transformar em realidade a idéia da igualdade entre os homens? Um grande fator é a natureza humana. O ex-congressista dos Estados Unidos, William Randolph Hearst, disse certa vez: “Todos os humanos são criados iguais pelo menos em um sentido: o seu desejo de serem desiguais.” O que queria dizer com isso? Pode ser que o dramaturgo francês Henry Becque, do século 19, o tenha expressado de forma mais clara: “O que dificulta tanto a igualdade é que nós apenas a queremos ter com os nossos superiores.” Em outras palavras, as pessoas só querem igualdade com quem está acima delas na escala social; mas poucos estariam dispostos a limitar os seus privilégios e suas vantagens por conceder igualdade aos que eles consideram inferiores.



-                                                                               Publicado em A Sentinela de 1.° de janeiro de 2002


Isso nos leva a pensar no quanto devemos refletir.


                                                                                   

domingo, 10 de julho de 2011

Estudos sobre viver


Um estudo sobre valorizar a família e o ser humano para que a vida seja mais acolhedora. Idéias de compartilhamento de valores morais para que sejamos mais flexíveis e tolerantes. 

Uma chave - poesia


A arte ainda consegue ser o maior e melhor meio de entretenimento e educação que existe; é o meio principal e efetivo de se relacionar publicamente.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Podem as igrejas ser salvas? - Continuação

O VERDADEIRO CRISTIANISMO PROSPERA

 O MINISTÉRIO de Jesus Cristo causou um impacto no cenário do mundo no primeiro século. Ele impressionava as pessoas com sua mensagem que as revigorava, esclarecia e inspirava. Muitos dos que o ouviam falar ficavam profundamente comovidos com suas palavras. — Mateus 7:28, 29.




Jesus rejeitava destemidamente todo envolvimento nos opressivos sistemas eclesiásticos e políticos daquele tempo, mas era acessível às pessoas comuns. (Mateus 11:25-30) Reconhecia abertamente a influência dos espíritos iníquos que haviam tomado conta da Terra e demonstrava que tinha autoridade sobre eles — autoridade que Deus lhe havia dado. (Mateus 4:2-11, 24; João 14:30) Jesus esclareceu bem a relação fundamental entre o sofrimento e o pecado, e salientou bondosamente que o Reino de Deus traria alívio duradouro. (Marcos 2:1-12; Lucas 11:2, 17-23) De uma vez para sempre retirou o véu de escuridão que por tanto tempo havia ocultado a verdadeira personalidade do seu Pai, manifestando o nome de Deus a todos os que desejassem ter um relacionamento pessoal com Ele. — João 17:6, 26.



Portanto, não surpreende que os discípulos de Jesus, apesar da intensa perseguição religiosa e política, tenham divulgado rapidamente a dinâmica mensagem dele. Em apenas cerca de 30 anos, formaram-se congregações cristãs fortes na África, na Ásia e na Europa. (Colossenses 1:23) As verdades simples que Jesus havia ensinado iluminaram os corações de pessoas humildes e sinceras em todo o Império Romano. — Efésios 1:17, 18.




No entanto, como seria possível unir todos esses novos discípulos de diferentes formações econômicas, culturais, lingüísticas e religiosas em “uma só fé”, como o apóstolo Paulo a chamou? (Efésios 4:5) O que tornaria possível que todos ‘falassem de acordo’ e impediria que se distanciassem? (1 Coríntios 1:10) Em vista do problema sério de desunião que existe hoje entre professos cristãos, faremos bem em examinar o que o próprio Jesus ensinou.



O MINISTÉRIO de Jesus Cristo causou um impacto no cenário do mundo no primeiro século. Ele impressionava as pessoas com sua mensagem que as revigorava, esclarecia e inspirava. Muitos dos que o ouviam falar ficavam profundamente comovidos com suas palavras. — Mateus 7:28, 29.




Jesus rejeitava destemidamente todo envolvimento nos opressivos sistemas eclesiásticos e políticos daquele tempo, mas era acessível às pessoas comuns. (Mateus 11:25-30) Reconhecia abertamente a influência dos espíritos iníquos que haviam tomado conta da Terra e demonstrava que tinha autoridade sobre eles — autoridade que Deus lhe havia dado. (Mateus 4:2-11, 24; João 14:30) Jesus esclareceu bem a relação fundamental entre o sofrimento e o pecado, e salientou bondosamente que o Reino de Deus traria alívio duradouro. (Marcos 2:1-12; Lucas 11:2, 17-23) De uma vez para sempre retirou o véu de escuridão que por tanto tempo havia ocultado a verdadeira personalidade do seu Pai, manifestando o nome de Deus a todos os que desejassem ter um relacionamento pessoal com Ele. — João 17:6, 26.



Portanto, não surpreende que os discípulos de Jesus, apesar da intensa perseguição religiosa e política, tenham divulgado rapidamente a dinâmica mensagem dele. Em apenas cerca de 30 anos, formaram-se congregações cristãs fortes na África, na Ásia e na Europa. (Colossenses 1:23) As verdades simples que Jesus havia ensinado iluminaram os corações de pessoas humildes e sinceras em todo o Império Romano. — Efésios 1:17, 18.



No entanto, como seria possível unir todos esses novos discípulos de diferentes formações econômicas, culturais, lingüísticas e religiosas em “uma só fé”, como o apóstolo Paulo a chamou? (Efésios 4:5) O que tornaria possível que todos ‘falassem de acordo’ e impediria que se distanciassem? (1 Coríntios 1:10) Em vista do problema sério de desunião que existe hoje entre professos cristãos, faremos bem em examinar o que o próprio Jesus ensinou.


A base da união cristã

Quando Jesus foi julgado perante Pôncio Pilatos, ele identificou a base da união cristã. Disse: “Para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que está do lado da verdade escuta a minha voz.” (João 18:37) Portanto, a aceitação dos ensinos de Jesus, junto com todo o restante da Palavra inspirada de Deus, a Bíblia, tem grande influência unificadora sobre os verdadeiros discípulos de Cristo. — 1 Coríntios 4:6; 2 Timóteo 3:16, 17.




É claro que perguntas sinceras e desacordos surgiriam às vezes entre os discípulos de Jesus. Como poderiam resolver essas diferenças? Jesus explicou: “Quando esse chegar, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade, pois não falará de seu próprio impulso, mas falará as coisas que ouvir e vos declarará as coisas vindouras.” (João 16:12, 13) Portanto, o espírito santo de Deus habilitaria os verdadeiros discípulos de Jesus a compreender a verdade à medida que fosse revelada progressivamente por Deus. Além disso, esse espírito produziria frutos, tais como amor, alegria e paz, que por sua vez promoveriam a união entre eles. — Atos 15:28; Gálatas 5:22, 23.




Jesus não deixou nenhuma margem para dissensões ou facções entre os seus discípulos, nem os autorizou a reinterpretar verdades divinas para ajustá-las às tradições culturais ou religiosas daqueles que encontrariam. Em vez disso, na sua última noite com eles, orou fervorosamente: “Faço solicitação, não somente a respeito destes, mas também a respeito daqueles que depositam fé em mim por intermédio da palavra deles; a fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco, a fim de que o mundo acredite que me enviaste.” (João 17:20, 21) Portanto, a genuína união em espírito e verdade seria o sinal distintivo dos discípulos de Cristo desde o começo do cristianismo até o nosso tempo. (João 4:23, 24) No entanto, as igrejas atuais não estão unidas, mas sim divididas. Por que se dá isso?


Por que as igrejas estão divididas


A única explicação satisfatória para a grande diversidade de crenças e práticas entre os que hoje professam ser cristãos é que eles não aderem aos ensinos de Jesus. Certo jornalista observou: “Como no passado, os novos cristãos de hoje tendem a aceitar da Bíblia tudo o que lhes é conveniente — e a desconsiderar o que não se ajusta às suas próprias tradições religiosas locais.” Isso é exatamente o que Jesus e seus apóstolos predisseram que aconteceria.



Por exemplo, o apóstolo Paulo foi inspirado a escrever ao superintendente cristão Timóteo: “Haverá um período de tempo em que não suportarão o ensino salutar, porém, de acordo com os seus próprios desejos, acumularão para si instrutores para lhes fazerem cócegas nos ouvidos; e desviarão os seus ouvidos da verdade, ao passo que serão desviados para histórias falsas.” Seriam todos os cristãos desencaminhados? Não. Paulo prosseguiu: “Tu, porém, mantém os teus sentidos em todas as coisas, sofre o mal, faze a obra dum evangelizador, efetua plenamente o teu ministério.” (2 Timóteo 4:3-5; Lucas 21:8; Atos 20:29, 30; 2 Pedro 2:1-3) Timóteo e outros cristãos fiéis acataram esse conselho inspirado.



Os verdadeiros cristãos ainda estão unidos

Os verdadeiros cristãos hoje, assim como Timóteo, mantêm os seus sentidos, rejeitando raciocínios humanos e aceitando apenas a autoridade bíblica para as suas crenças doutrinais. (Colossenses 2:8; 1 João 4:1) Imitando os cristãos do primeiro século, as Testemunhas de Jeová efetuam o seu ministério em mais de 230 países, levando às pessoas em toda a parte a mesma mensagem que Jesus pregava, as boas novas do Reino. Considere quatro maneiras importantes pelas quais elas imitam a Jesus e praticam o verdadeiro cristianismo em união, não importa onde vivam.
Suas crenças baseiam-se na Palavra de Deus. (João 17:17) Um pároco na Bélgica escreveu sobre elas: “Uma coisa que podemos aprender delas [das Testemunhas de Jeová] é a sua disposição de ouvir a Palavra de Deus e sua coragem de dar testemunho dela.”




Encaram o Reino de Deus como solução para os problemas globais. (Lucas 8:1) Em Barranquilla, Colômbia, um membro das Testemunhas de Jeová conversou com Antonio, apoiador ferrenho de certo movimento político. Ele não tomou o lado de Antonio, nem apoiou alguma outra ideologia política. Em vez disso, propôs estudar gratuitamente a Bíblia com Antonio e suas irmãs. Antonio compreendeu logo que o Reino de Deus é realmente a única esperança para os pobres da Colômbia e do restante do mundo.
Honram o nome de Deus. (Mateus 6:9) Quando as Testemunhas de Jeová entraram em contato pela primeira vez com Maria, uma católica sincera que mora na Austrália, essa senhora permitiu que elas lhe mostrassem na Bíblia o nome de Deus. Como ela reagiu? “Quando vi pela primeira vez o nome de Deus na Bíblia, chorei. Fiquei muito comovida de saber que podia realmente conhecer e usar o nome pessoal de Deus.” Maria continuou a estudar a Bíblia, e pela primeira vez na vida chegou a conhecer a Jeová como pessoa e pôde desenvolver um relacionamento duradouro com ele.




Estão unidos pelo amor. (João 13:34, 35) Um editorial no jornal Ladysmith-Chemainus Chronicle, no Canadá, comentou: “Independentemente de sua convicção religiosa, ou falta dela, terá de reconhecer o mérito das 4.500 Testemunhas de Jeová que trabalharam 24 horas por dia durante a última semana e meia para construir um Salão de Assembléias de 2.300 metros quadrados em Cassidy . . . Fazer isso alegremente, sem discussões, dissensões ou sem buscar glória é uma marca do verdadeiro cristianismo.”

Portanto, considere a evidência. Enquanto teólogos, missionários e freqüentadores de igrejas da cristandade continuam a lidar com a crescente onda de controvérsias nas suas igrejas, o verdadeiro cristianismo floresce no mundo inteiro. De fato, os verdadeiros cristãos realizam seu ministério designado, de pregar e de ensinar a Palavra de Deus. (Mateus 24:14; 28:19, 20) Se você está entre os que “suspiram e gemem” por causa das coisas detestáveis que estão acontecendo e fica perturbado por causa da desunião existente entre as religiões da cristandade, convidamo-lo a se juntar às Testemunhas de Jeová na adoração cristã unida do único Deus verdadeiro, Jeová. — Ezequiel 9:4; Isaías 2:2-4.


Publicado em A Sentinela de 1.º de março de 2004


Convite deve ser estendido para outras pessoas. Não sejamos egoístas. Partilhemos os bons frutos.

sábado, 18 de junho de 2011

Podem as igrejas ser salvas?

“AS PESSOAS na Grã-Bretanha ainda crêem em Deus, mas não querem comprometer-se com Cristo”, disse Stephen Tiromwe, um clérigo ugandense. Uns 20 anos antes, ele sobreviveu à violenta campanha de perseguição e expulsão de dissidentes políticos movida pelo governo contra a sua igreja em Uganda. Atualmente, ele prega em clubes sociais para homens em Leeds, na Inglaterra, proferindo um discurso de dez minutos antes de seus ouvintes começarem a jogar bingo.

Do outro lado do Atlântico, a recém-organizada Missão Anglicana na América luta com uma crise espiritual similar. “Encontra-se agora nos Estados Unidos a maior população de língua inglesa que não vai à igreja e é espiritualmente indiferente”, diz o site oficial da missão na internet. “O nosso país está se tornando o campo missionário.” A nova missão fracassou em seus esforços de promover mudanças internas na igreja e por isso abandonou a tradição, juntando-se a líderes asiáticos e africanos para iniciar “uma campanha missionária nos Estados Unidos”.

No entanto, por que missionários africanos, asiáticos e latino-americanos estão ‘salvando almas’ em países que já se consideram cristãos na Europa e na América do Norte?
Quem está salvando quem?

Por mais de quatrocentos anos, um fluxo contínuo de missionários europeus dedicados acompanhou de perto a onda de expansão colonial conforme avançava na África, na América do Sul, na Ásia e no Pacífico. Procuraram levar a sua religião aos chamados pagãos nessas terras. Com o tempo, as colônias americanas, supostamente fundadas em princípios cristãos, aderiram ao esforço missionário dos países europeus e por fim os superaram, estabelecendo suas próprias missões evangélicas em todo o mundo. Agora, a maré virou.

“O centro [do cristianismo nominal] mudou”, disse Andrew Walls, diretor-fundador do Centro para o Estudo do Cristianismo no Mundo Não-Ocidental. Em 1900, 80 por cento dos que afirmavam ser cristãos eram europeus ou norte-americanos. No entanto, hoje em dia, 60 por cento de todos os professos cristãos vivem na África, na América Latina e na Ásia. Uma recente notícia na imprensa declarou: “As paróquias católicas na Europa dependem de sacerdotes das Filipinas e da Índia”, e “um em seis sacerdotes servindo agora em paróquias católicas norte-americanas veio do exterior”. Na Holanda, evangélicos africanos, a maioria deles de Gana, acham que são “uma igreja missionária num continente secularizado”. E evangelistas do Brasil realizam agora campanhas religiosas em diversas partes da Grã-Bretanha. Certo escritor observou: “O fluxo de missionários cristãos se inverteu.”
A perspectiva de um confronto fica cada vez maior

É bem possível que se precise de missionários nos continentes europeu e norte-americano, cada vez mais secularizados. “Na Escócia, menos de 10 por cento dos cristãos vão regularmente à igreja”, observou uma revista. O percentual é ainda menor na França e na Alemanha. Uma reportagem indicou que, segundo uma pesquisa, “cerca de 40 por cento dos americanos e 20 por cento dos canadenses dizem que vão regularmente à igreja”. Em contraste, consta que a assistência nas Filipinas é de quase 70 por cento, similar a outros países em desenvolvimento.

O que é mais significativo é que os que vão à igreja no Hemisfério Sul tendem a ser muito mais conservadores do que os que a freqüentam no Hemisfério Norte. Por exemplo, os católicos entrevistados nos Estados Unidos e na Europa manifestam sempre uma crescente desconfiança na autoridade clerical e defendem uma participação maior dos leigos e a igualdade das mulheres. Os católicos no Hemisfério Sul, por outro lado, adotam na maior parte a posição tradicional da igreja nessas questões. Ao passo que o deslocamento demográfico nas igrejas continua em direção ao sul, já se lançou a base para um confronto futuro. Philip Jenkins, um erudito em História e Religião, predisse: “É bem provável que dentro de uma ou duas décadas as pessoas de um lado do cristianismo global não reconhecerão as que pertencem ao outro lado como cristãos autênticos.”

Em vista dessa tendência, Walls disse que é urgente perguntar “como cristãos africanos, asiáticos, latino-americanos, norte-americanos e europeus podem conviver na mesma igreja, expressando sinceramente a mesma fé”. O que você acha? Será que as igrejas podem sobreviver num mundo dividido? Qual é a base da verdadeira união cristã?

Publicado em A Sentinela de 1.º de março de 2004

No próximo artigo veremos as respostas adequadas e bíblicas acerca desses assuntos.

terça-feira, 7 de junho de 2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Por que as pessoas fazem coisas más?


A mídia, em especial, é determinante no que diz respeito a concepções, idéias, comportamento... por isso mesmo, é melhor avaliar bem o que faz, o que ouve, o que vê. Seja decente!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sol nascente / Joca

Em uma de minhas viagens vi o sol num levante magnífico e amei a Deus por isso.
Por isso mesmo, também, resolvi compartilhar.
Aqui, fotografei em Paulo Afonso-Ba.

Jovem- está preparado para sair de casa?

Crenças Futuro Medicina Assuntos Contate-nos Publicações Idiomas






Os Jovens Perguntam



Estou pronto para sair de casa?





“Às vezes, sinto que as pessoas não me levam a sério porque já tenho 19 anos e ainda não saí de casa, como se eu tivesse de morar sozinha para ser adulta.”— Katie.*



“Tenho quase 20 anos e me irrita saber que não sou dona de minha vida. Já pensei em sair de casa porque meus pais não levam em conta minha opinião e ficam dizendo que sabem das coisas melhor do que eu. Não aguento mais isso!” — Fabiana.




MUITO antes de estar pronto para sair de casa, você talvez comece a sentir vontade de ser independente. Isso é normal. Afinal, originalmente a vontade de Deus para os jovens era que por fim eles deixassem os pais para formar a própria família. (Gênesis 2:23, 24; Marcos 10:7, 8) Mas será que o fato de você querer mais liberdade significa que já é hora de se mudar? Pode ser. Mas como você vai saber quando estiver realmente pronto para sair de casa? Analise três perguntas importantes que você precisa responder. A primeira é . . .



Por que quero sair de casa?

Para ajudá-lo a entender claramente por que você quer se mudar, dê uma olhada na lista a seguir. Numere suas razões em ordem de importância.



Fugir dos problemas em casa



Ter mais liberdade



Ser mais respeitado pelos colegas



Ajudar um amigo que precisa dividir o aluguel



Fazer trabalho voluntário em outro lugar



Ganhar experiência



Não dar despesas para meus pais



Outra



Essas razões não são necessariamente más. Mas o motivo de você querer sair de casa pode ter uma grande influência na sua felicidade depois de deixar o teto de seus pais. Por exemplo, se o motivo é apenas fugir dos problemas em casa ou ter mais liberdade, você provavelmente vai ficar surpreso.



Daniele, que morou um tempo fora de casa quando tinha 20 anos, aprendeu muito com essa experiência. Ela conta: “Todos nós temos de conviver com certas restrições. Quando você está por conta própria, seus horários de trabalho ou a falta de dinheiro restringem o que você pode fazer.” Carmen, que morou no exterior por seis meses, diz: “Gostei da experiência, mas muitas vezes achava que não tinha tempo livre. Tinha de cuidar da casa — fazer limpeza, consertar coisas, cuidar do jardim, lavar roupa, esfregar o chão e assim por diante.”



É verdade que sair de casa pode lhe dar mais liberdade e aumentar o respeito dos colegas. Mas é você quem vai pagar as contas, cozinhar, limpar a casa e preencher o tempo quando não estiver com a família ou os amigos. Então, não deixe que os outros o influenciem a tomar uma decisão precipitada. (Provérbios 29:20) Não basta ter motivos válidos para sair de casa. Você precisa saber cuidar de si mesmo — o que nos leva à segunda pergunta . . .



Estou preparado?

Sair de casa é como fazer uma trilha na floresta. Você se aventuraria a fazer isso sem saber armar uma barraca, acender uma fogueira, preparar comida ou ler um mapa? Provavelmente não! Mas muitos jovens vão morar sozinhos sem saber direito como cuidar de uma casa.



O sábio Rei Salomão disse que “quem tem juízo está sempre prevenido”. (Provérbios 14:15, Bíblia na Linguagem de Hoje) Para ajudá-lo a analisar se está preparado para morar sozinho, analise os seguintes tópicos.



Administrar o dinheiro “Nunca precisei pagar nada do meu bolso”, diz Serena, de 19 anos. “Tenho medo de sair de casa e não saber cuidar bem do meu dinheiro.” Como você pode aprender a administrar o dinheiro?



O QUE OUTROS JOVENS DIZEM



Sarah

“Quando seus pais lhe dão responsabilidades — parecidas às que você terá ao sair de casa —, daí continuar morando com eles se torna um modo seguro de aprender a viver sozinha mais tarde.”



Aron

“É normal querer independência. Mas, se você quer sair de casa só para fugir de regras, isso indica que você não está preparado para morar sozinho.”

Um provérbio bíblico diz: “O sábio escutará e absorverá mais instrução.” (Provérbios 1:5) Então, que tal perguntar a seus pais quanto uma pessoa precisa por mês para pagar o aluguel ou o financiamento, comprar comida, manter um carro ou pagar outros custos envolvendo transporte? Daí, peça a seus pais que o ajudem a fazer um orçamento doméstico. Por que é importante aprender a viver dentro de um orçamento? Kevin, de 20 anos, diz: “Quando você começa a morar sozinho, aparece um monte de despesas inesperadas. Se não tomar cuidado, você vai se matar de trabalhar para pagar as dívidas.”



Quer fazer um teste de como é viver sozinho? Se você tem um emprego, dê aos seus pais, por um tempo, o dinheiro dos gastos mensais que eles têm com você envolvendo alimentação, moradia e outras coisas. Se não conseguir ou não estiver disposto a pagar essas despesas enquanto estiver em casa, você não está preparado para morar sozinho. — 2 Tessalonicenses 3:10, 12.





Sair de casa é como fazer uma trilha na floresta — você precisa aprender a cuidar de si mesmo antes de começar







Cuidar das tarefas domésticas O que mais preocupa Beto, de 17 anos, é lavar a própria roupa. Como você pode saber se está pronto para cuidar de si mesmo? Aron, de 20 anos, dá a seguinte sugestão: “Por uma semana, leve a vida como se morasse sozinho. Prepare sua própria comida usando itens que você mesmo comprou com seu dinheiro. Use roupas que você lavou e passou. Limpe o que sujou. E tente ir aos lugares que precisa sem pedir que um dos seus pais o leve ou o busque.” Seguir essas sugestões o ajudará em dois sentidos: (1) a desenvolver habilidades importantes e (2) a valorizar mais as coisas que seus pais fazem.



Relacionamentos Você se dá bem com seus pais e irmãos? Se a resposta for não, talvez ache que ir morar com um amigo seria mais fácil. Pode até ser. Mas veja o que Eva, de 18 anos, diz: “Duas colegas minhas foram morar juntas. Elas eram muito amigas. Mas uma era organizada e a outra bagunceira. Uma levava a sério sua religião e a outra nem tanto. A experiência não deu certo!”



Elaine, de 18 anos, quer sair de casa. Mas ela diz: “Você pode aprender muito sobre como se dar bem com outros enquanto estiver morando em casa. Você aprende a resolver problemas e a ceder. Percebi que os que saem de casa para evitar discussões com os pais aprendem a fugir dos conflitos, não a resolvê-los.”



Rotina espiritual Alguns saem de casa só para fugir da rotina religiosa da família. Outros saem decididos a manter um bom programa de estudo da Bíblia e de adoração, mas logo acabam desenvolvendo maus hábitos. Como evitar que sua fé sofra um “naufrágio”? — 1 Timóteo 1:19.



Não aceite cegamente a religião de seus pais. Jeová Deus quer que estejamos convencidos de nossas crenças. (Romanos 12:1, 2) Então, crie uma rotina de estudo da Bíblia e de adoração e se apegue a ela. Que tal anotar essa rotina espiritual num calendário e ver se consegue segui-la por um mês sem que seus pais precisem lembrá-lo disso?



Finalmente, a terceira pergunta que você precisa analisar é . . .



O que espero alcançar?

Alguns saem de casa para fugir de problemas ou da autoridade dos pais. Sua atenção está nas coisas que estão deixando para trás, não aonde estão indo. Isso é como dirigir olhando apenas no retrovisor. Quando o motorista se concentra no que está ficando para trás, não percebe o que está à sua frente. O que aprendemos disso? Não se concentre apenas em sair de casa — mantenha seus olhos fixos num objetivo que vale a pena.



Alguns jovens Testemunhas de Jeová se mudaram para pregar em regiões distantes em seu país ou no exterior. Outros, com o objetivo de ajudar na construção de locais de adoração ou trabalhar numa filial das Testemunhas de Jeová. Ainda outros acham que devem morar sozinhos por um tempo antes de se casar.#



PARA VOCÊ PENSAR

■Mesmo que o ambiente em casa seja difícil, como continuar ali por um tempo pode ajudar você?

■Enquanto estiver com seus pais, o que você pode fazer para beneficiar sua família e se preparar para cuidar de sua própria casa?

Escreva um objetivo que você gostaria de alcançar ao sair de casa.





Em alguns casos, pode acontecer de a pessoa ficar em casa tanto tempo que acaba não desenvolvendo a maturidade e as habilidades necessárias para morar sozinha. Mesmo assim, não tome uma decisão precipitada. Pense bem! “Quem planeja com cuidado tem fartura”, diz um provérbio bíblico, “mas o apressado acaba passando necessidade”. (Provérbios 21:5, BLH) Ouça os conselhos de seus pais. (Provérbios 23:22) Ore sobre o assunto. Ao tomar uma decisão, leve em conta os princípios bíblicos analisados neste artigo.



Outros artigos da série “Os Jovens Perguntam” estão disponíveis em www.watchtower.org/ypt



Em vez de se perguntar ‘Estou pronto para sair de casa?’, pergunte-se ‘Estou pronto para cuidar de minha própria casa?’. Se você acha que está preparado, então talvez seja a hora de tomar seu próprio rumo na vida.



UMA NOTA PARA OS PAIS

Serena, já mencionada, tem receio de sair da casa dos pais. Por quê? Ela comenta um dos motivos: “Mesmo quando quero comprar algo com meu próprio dinheiro, meu pai não deixa. Ele diz que esse é o papel dele. Assim, a ideia de pagar minhas contas me assusta.” Não há dúvida que o pai dela faz isso com a melhor das intenções, mas você acha que ele está ajudando Serena a se preparar para cuidar da sua própria casa no futuro? — Provérbios 31:10, 18, 27.



Será que seus filhos são superprotegidos e por isso mal preparados para viver sozinhos? Como você pode saber? Analise as quatro habilidades mencionadas no artigo, mas agora do seu ponto de vista.



Administrar o dinheiro. Seus filhos mais velhos sabem como preparar uma declaração de renda? Sabem o que precisam fazer para estar de acordo com as leis tributárias? (Romanos 13:7) São capazes de comprar a crédito de forma responsável? (Provérbios 22:7) Conseguem fazer um orçamento doméstico e viver dentro dele? (Lucas 14:28-30) Já sentiram a satisfação de comprar algo com o dinheiro que ganharam trabalhando? Que dizer da satisfação ainda maior de dar do seu tempo e recursos para ajudar outros? — Atos 20:35.



Cuidar das tarefas domésticas. Suas filhas e seus filhos sabem cozinhar? Você os ensinou a lavar e passar roupa? Se dirigem, conseguem fazer com segurança manutenções simples no carro, como trocar um fusível, o óleo ou um pneu furado?



Relacionamentos. Quando seus filhos mais velhos se desentendem, você age como juiz, impondo a solução do problema? Ou ensinou-os a negociar uma solução pacífica e depois comunicar como conseguiram fazer isso? — Mateus 5:23-25.



Rotina espiritual. Você simplesmente diz a seus filhos em que eles devem acreditar ou usa de persuasão? (2 Timóteo 3:14, 15) Em vez de sempre responder às perguntas que eles fazem sobre questões religiosas e morais, você os ensina a desenvolver “raciocínio” e a ‘treinar suas faculdades perceptivas para distinguir tanto o certo como o errado’? (Provérbios 1:4; Hebreus 5:14) Gostaria que eles seguissem sua rotina de estudo pessoal da Bíblia? Ou seu exemplo deixa a desejar?



Sem dúvida, treinar os filhos nas áreas mencionadas exige tempo e muito esforço. Mas você vai ver que tudo isso valeu a pena no dia em que eles saírem de casa.





--------------------------------------------------------------------------------



* Alguns nomes neste artigo foram mudados.



# Em algumas culturas, é comum os filhos, em especial as moças, morarem com os pais até se casar. A Bíblia não dá conselhos específicos sobre esse assunto.

Publicado em Despertai! de julho de 2010

Por ter filhos e também por dar especial atenção à palavra de Deus, copiei esse artigo que, sei, vai ajudar muitos a ajustarem suas vidas. Reflita!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Garota sequestrada - Ajudem!!!

Enviaram para o meu e-mail esse pedido de ajuda e como sei que existem pessoas valorosas e sensíveis, penso que será proveitoso.
Que Deus abençoe os que se empenham em ajudar ao próximo!

sábado, 23 de abril de 2011

Filhos- Gifs animados by Joca



Duas filhas de Joca: Raíssa e Lisna.
São pessoas que amo e me animam, e ficaram mais animadas ainda com os gifs.

Imagens animadas

                                                Foto: Márcia

Novo trabalho de Joca em gif animado.
Aguardem que vamos criar gif's para publicação.
A modelo da foto é 'Loura'. 

terça-feira, 19 de abril de 2011

Ngealc







O NGEALC é um grupo formado por professores, pesquisadores, técnicos e estudantes que integram Grupos de Pesquisa e/ou Extensão, ou ainda aqueles que demonstram interesse no tema cultura e história afro e afro-brasileira.
Sigam esse BLOG que é o resgate e amparo das nossas tradições: http://ngealc.blogspot.com/