Google+ Followers

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A independência pode ser sinal de violência

Até quando viverá o homem buscando distância do bem maior que é a família? Até quando o homem procurará prazeres pessoais e egoístas separando-se daqueles que querem seu bem?
Estive pensando nisso durante esses dias e lembrei-me que o sentimento do homem em relação a liberdade estende-se à licenciosidade, isso sim. Por que? Porque o homem desiste quando ocorrem dificuldades em sua vida e está predisposto ao que é fácil, sendo que desiste ao menor sinal de  sérios problemas.
Uma das maneiras de desistir do homem é quando algo importante fica entre ele e o prazer; não sabe pra que lado vai, nem como reagir verdadeiramente. Mas, o homem que tem Deus em primeiro lugar na sua vida, sabe aceitar o dirigir sua caminhada. (Gál. 6:7-9)
Para ser independente, ou para se sentir independente, o homem precisa reformular o seu modo de vida, pois os ataques televisivos e de outros meios midiáticos o tem tornado refém de sua própria limitação. O exemplo maior disso é do que é capaz para sentir-se de tal forma.
Independência não deve ser um desejo superior aos outros desejos, mesmo porque pode gerar conflitos, como quando um filho teima em sair de casa a fim de tornar-se independente; isso não quer dizer que vai ser independente, e sim que tornou-se um rebelde, um desobediente. Lembramos bem no que resultou a desobediência no início da criação. (Tia. 1:14,15)
A independência pode ser sinal de violência contra você mesmo, se não cuidar em prestar atenção ao que faz da sua vida.
Leia textos bíblicos como: Gênesis 3:1-5; Efésios 2:1-3; Provérbios 16:18; Provérbios 18:1 e Tiago 4:13-15 e entenda o que pode causar o espírito de independência no seu coração.
Que o nosso santo, digno, soberano e eterno Deus Jeová nos dê um bom dia de frutos do espírito santo, boa saúde e proteção em nome de nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                                Joca Vitorino


Pensamento: “Não sejais desencaminhados. Más associações estragam hábitos úteis” (1 Coríntios 15:33)

Nenhum comentário:

Postar um comentário