Google+ Followers

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Política, religião e outros assuntos que se discute.

Dois amigos conversam sobre variados assuntos e logo perguntam por novidades, mas as novidades são para alguns, por terem obtido esse conhecimento agora; aos que já conheciam o assunto não há novidade alguma. E isso torna a conversa atraente. Da mesma forma que torna atraentes assuntos que temos que meditar para esclarecer a nós mesmos e a outros, como política e religião.
Religião é uma forma de adoração. Inclui um sistema de atitudes, crenças e práticas religiosas, segundo o Raciocínios à base das Escrituras, publicado pelas Testemunhas de Jeová.
Política é uma atividade orientada ideologicamente para a tomada de decisões de um grupo para alcançar determinados objetivos, segundo o site conceito.de/politica.
Muitos dizem que política e religião não se discute. Creio que dizem isso por eles mesmos não entenderem o que estão falando. 
Religião é uma necessidade, assim como a política também é. Tanto que a Palavra de Deus nos informa que as autoridades estão colocadas por Deus nas suas posições relativas. E explicita que não há autoridade exceto por Deus. (Romanos 13:1) Refletindo nesse texto bíblico percebemos religião e política sendo colocadas num patamar paralelo, prontos para serem resolvidos, e como fazê-lo se dizem que não se discute? Tem que discutir, sim. Primeiro porque a política também pode ser definida como sendo o exercício do poder para a resolução de um conflito de interesses. Como fazer isso sem que haja uma discussão? Segundo, a ciência política é a disciplina que estuda atividades políticas. Há estudo sem discussão?
Quanto a religião, se não pudesse discuti-la, por que existem tantas religiões e como entender isso?  Religião não é só um conceito, é a base para seguir a Deus e a Cristo buscando a salvação. É algo que, dependendo da forma como é direcionada, pode ser ou não aceitável a Deus. É compreender que sua forma de adoração demonstra quem realmente você preza e coloca em primeiro lugar na sua vida, se é o emprego, a família, os amigos ou Deus. "É por isso que não me escutais, porque não sois de Deus." (João 8:47) Então, para saber que religião seguir, segundo os propósitos de Deus e não os seus próprios conceitos, observe em que se baseiam os ensinamentos da sua religião e se é só uma coisa formalizada ou se os que participam nela tem isso como um modo de vida. São questões a ser discutidas ou não?
Assuntos interessantes tornam-se polêmicos quando tentam usar filosofias meramente humanas e não a sabedoria divina para resolver questões.
"Certos dos filósofos epicureus bem como dos estóicos passaram a conversar com ele [Paulo] polemicamente, e alguns diziam: 'O que é que este paroleiro quer contar?' Outros: 'Ele parece ser publicador de deidades estrangeiras.' Isto se deu porque ele declarava as boas novas de Jesus e a ressurreição." (Atos 17:18) E ainda hoje é assim, as pessoas ficam impressionadas com quem obtém o conhecimento exato e tenta machucá-las, por ofendê-las, ou criticá-las. (João 17:3)
O apóstolo Paulo, segundo a Bíblia, declarava boas novas de Jesus e a ressurreição, o que tem sido objeto de zombaria até os dias de hoje. Então, para quem acha que religião não se discute, como fazer as pessoas compreenderem sobre Cristo e os propósitos de Deus, se não se discute tal assunto?
Essas são bases para entender que política, religião e outros assuntos se discute. 
Que o nosso prodigioso, magnífico, eficiente, justo e santo Deus Jeová nos dê um bom dia de bom entendimento, capacidade intelectual, proteção, bençãos e amor em nome de nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                               Joca Vitorino 

Pensamento: "Portanto, não deixeis que se fale com dano para vós do bem que fazeis. Pois o reino de Deus não significa comer e beber, mas [significa] justiça, e paz, e alegria com espírito santo. Pois, quem nesse sentido trabalhar como escravo para Cristo, é aceitável a Deus e tem aprovação da parte dos homens." (Romanos 14:16-18)

Nenhum comentário:

Postar um comentário