Google+ Followers

quarta-feira, 30 de abril de 2014

PRECONCEITO (Racismo)

Na escola todos já estavam nos limites dos portões fechados e eles aguardavam sua mãe sair e dar-lhes 'adeus!' Era assim todos os dias. As mães dos outros alunos os olhavam e diziam que mais tarde os veriam em casa ou que já estava no horário, mas ela não. Ela sempre esperava até o último minuto, junto ao portão. E os filhos também. E quando já estava na hora, ela se ajoelhava perante eles e os abraçava, beijava e dizia: "-Bom dia! Fiquem com Deus!" E eles acenavam para ela até desaparecer na linha do olhar e estavam com os olhos cheios de lágrimas, do mesmo modo que ela também ficava.
Ela era negra e suas vestes eram comuns. O que havia, então de especial para que aquelas crianças não quisessem afastar-se dela? O amor que ela mostrava ter por eles. Isso os fazia, e a fazia sentir-se feliz. O que ela fazia era mesmo diferente do que qualquer outra mãe naquela escola poderia fazer. Muitos criticavam sua atitude de esperar até quando os filhos fossem levados para a sala de aula, mas ela sentia-se gratificada de poder vê-los todos os dias aprendendo para a auto valorização. Sentia orgulho por isso.
Aconteceu que depois de alguns anos, os negros filhos daquela mulher estavam formados e cursavam faculdade. Não que isso os fizesse valer mais do que outras pessoas, mas era uma família solidamente unida em amor, na união e em ajuda mútua, assim como a mãe fora com eles durante toda a sua vida.
Como você acha que essas pessoas se sentem hoje? Com certeza, vivem a benção da superação, do envolvimento em dar suporte ao próximo, de querer bem e, principalmente, do acreditar e envolver-se com Deus diariamente, constantemente. A ação da mãe os influenciou de uma maneira grandiosa que eles vivem hoje no empenho de fazer o melhor possível para ajudar a outros.
Hoje, vemos pessoas buscando um lugar no mundo, lutando por algum reconhecimento e a cor da pele, a pobreza, a religião e a sexualidade ainda são objetos de preconceito. Objetos, sim, no mesmo e completo sentido da palavra. Ainda somos tratados assim em muitos lugares, por muitas pessoas. Somos até motivos de brincadeiras e piadas, muitas vezes. Não tínhamos quer ser imparciais? "Pedro abriu a boca e disse: 'Certamente percebo que Deus não é parcial, mas, em cada nação, o homem que o teme e que faz a justiça lhe é aceitável." (Atos 10:34)  Deus, Jeová, o Criador de todas as coisas, não tem preconceito, como lemos na Bíblia, por que, então, o mero homem tem que avaliar o outro segundo o seu pensamento?
(Essa mulher era a minha mãe, Lindinalva Vitorino).
Que o nosso soberano e santo Deus Jeová nos dê um bom dia de realizações, alegria, paz, proteção, amor, bençãos e boa espiritualidade em nome de nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                                    Joca Vitorino

Pensamento: "Pois, Jeová. vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e atemorizante, que não trata a ninguém com parcialidade, nem aceita suborno." (Deuteronômio 10:17)

Nenhum comentário:

Postar um comentário