Google+ Followers

quarta-feira, 26 de março de 2014

Pais e filhos

"Pai, precisamos nos entender..." Essa deveria ser a frase inicial de todo filho.
Os filhos tendem a ser duros, às vezes, com os pais por motivos variados e até mesmo já foram constatadas situações em que agem sem motivo real ou aparente. Por que? Por mais que o amor seja uma marca na vida de uma família, a comunicação deve ser estabelecida por razões declaradas, pois o pai é o espelho do filho. Espelho no sentido literal, onde um torna-se reflexo do que o outro costuma fazer diariamente. Essa é a lembrança que um filho vai ter do pai. E não adianta querer sacrificar o pai ao crescer, porque ao mesmo tempo que isso seria indecente, seria também como se dissesse: 'ajo da mesma forma.' Vejamos bem. A Bíblia diz que toda árvore podre produz fruto imprestável (Mateus 7:17). Então, como pode um filho que se diz tão bom ter um conceito desagradável sobre o pai? Na verdade ele estaria dizendo quem ele é realmente.
Por outro lado, "do mesmo modo toda árvore boa produz fruto excelente." Isso significa que o filho terá a sua oportunidade de mostrar o seu valor se prosseguir no ensino e bons exemplos do pai.
"A beleza dos filhos são os seus pais" (Provérbios 17:6). Esse provérbio bíblico indica claramente a relação entre pai e filho, não um ou outro, os dois.
"E vós, pais, não estejais irritando os vossos filhos, mas prossegui em criá-los na disciplina e na regulação mental de Jeová" (Efésios 6:4). Aqui não lemos que deve-se criar filhos só por motivos de manter uma família. Antes, diz que tem que ser criados na disciplina e na regulação mental de Jeová, o que significa que devem ser ensinados a pensar as verdades e os princípios morais que o nosso Grandioso Criador possui. 
Segundo o Theological Dictionary of the New Testament (Dicionário Teológico do Novo Testamento), a palavra grega original traduzida “regulação mental”, emEfésios 6:4, refere-se a um processo que “procura corrigir a mente, acertar o que está errado, melhorar a atitude espiritual”. E se um jovem rejeitar o treinamento dado pelos pais por causa da pressão dos colegas e do desejo de seguir a maioria? Quem na realidade está fazendo pressão que pode ser prejudicial — os pais ou os colegas? Se os colegas estão pressionando o jovem a usar drogas, a beber ou a se envolver em conduta imoral, será que os pais devem ser criticados por tentarem corrigir o modo de pensar de seu filho e ajudá-lo a perceber as conseqüências de tal conduta perigosa?
Portanto, filhos e 'críticos', absorvam conhecimento e busquem entendimento, pois só um PAI de verdade sente pelo filho o que sente por si próprio. E ninguém quer o próprio mal deliberadamente.
Que o nosso magnífico, majestoso, grandioso, excelso e soberano Deus Jeová nos dê um bom dia de frutos do espírito santo, bençãos, amizade, boa saúde e proteção em nome de nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                                        Joca Vitorino

Pensamento: "Filhos, sede obedientes aos vossos pais em união com o Senhor, pois isto é justo." (Efésios 6:1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário