Google+ Followers

sábado, 17 de agosto de 2013

Os meus amigos

Imagem e texto de hoje: https://plus.google.com/photos/107925903145619205839/albums/5897155477838808209/5913109832164478994?banner=pwa&pid=5913109832164478994&oid=107925903145619205839
Aos dez anos de idade, ganhei do meu pai um projetor de slides com desenhos infantis e aí comecei o meu segundo empreendimento. Consegui uma casa de uma vizinha para passar os desenhos aos sábados. Lembro que eu cobrava R$ 0,50  (cinquenta centavos de cruzeiros) na época, por ingresso. E lotava a casa. Eu só tinha três filmes, e na terceira semana repetia os desenhos projetados na parede, num lençol que minha mãe cedeu, mesmo assim as pessoas continuavam a assistir os mesmos desenhos. Para variar um pouco, comecei a desenhar em papel vegetal, com caneta nanquim, alguns desenhos que eu criava, em preto e branco e as pessoas gostavam. Logo comprei uma máquina fotográfica e comecei a ir nos aniversários, formaturas e ganhava algum dinheiro com isso. Mais tarde, comecei a pintar camisetas, à pincel e até hoje é um dos meus meios de sobrevivência. Durante todo esse período de tempo comecei a pintar camisas de escolas, criar escudos, pintar muros e salas de aula, painéis e comprei uma filmadora. Aí começou uma revolução no bairro pobre onde moramos. As pessoas podiam ter lembranças de um momento especial em suas vidas por terem um casamento, uma palestra, uma conferência ou mesmo uma entrevista registrados em vídeo. Nesse ínterim, me dediquei a desenhar e esculpir em eps (isopor), bonecos, pães, biscoitos, letras e cenários para teatro escolar. Você pode estar pensando: 'O que isso tem a ver com o tema OS MEUS AMIGOS' logo no início da postagem? Tem a ver porque foi nesse estágio da minha vida que tive alguns altos e baixos por sofrer enfermidades. Até então, não imaginava sequer que as pessoas podiam gostar de você desinteressadamente de verdade. No primeiro problema que eu passei, muitos se afastaram de mim. Mas, como eu tive uma mãeravilhosa, pensei que era normal o proceder de alguns. Dei prosseguimento ao meu empreendimento e, mais uma vez uma enfermidade e mais uma vez o afastamento das pessoas. Não tinha mais como eu pensar que era por dificuldades de um ou de outro, era sim, por falta de nobreza moral. Sempre fui amigo dedicado e fiel e nunca cobrei amizade de ninguém, contudo, por sermos simplesmente humanos, sentimos o que faz a ingratidão, o desprezo, a falta de respeito e outros defeitos inerentes ao homem comum, sendo assim raciocinei e percebi que a minha família, em momento algum se afastou de mim. Somos sete irmãos e todos os seis sempre apoiaram aos outros e a mim, e nós apoiamos uns aos outros. Os meus filhos (tenho treze) sempre se importaram comigo. Mesmo tendo uns com responsabilidades paternas e maternas, nos momentos de dificuldade estavam me apoiando e me amando. E os amigos...ah, os amigos! Que pena! Foram tantos amigos, romances, relacionamentos íntimos, mas isso só quer dizer nomes. Eu os considerava como amigos. E os recebia na minha casa, e trabalhava para eles sem cobrar por isso e os acolhia no meu lar, e dormiam, comiam e bebiam. Onde estão eles hoje? Dos meus mais de quarenta anos de Joca que sou, tenho uma ínfima porcentagem dos centos amigos que fiz no decorrer dessas décadas.
Os meus amigos são amigos de quem eles se aproximam, pois são amigos de verdade. E eu os amo. Em especial e inesquecíveis posso contar com minha avó Lourdes, minha mãe Lindinalva (em memória), Arnaldo, meu pai, César, Levi, Joel, Sérgio, Marcos e Márcio, meus irmãos, Joice, Joab, Raíssa, Hosana, Joel, Dálete, Camila, Lucas, Dâmaris, Letícia, Libni, Edrei e Lisna, meus filhos, e os fora da minha família consaguínea que por respeito aos que nunca foram meus amigos, não vou postar seus nomes, mas tenho certeza de que eles sabem muito bem como os prezo, respeito e admiro.
Os meus amigos tem o mesmo direcionamento espiritual que eu tenho.
Os meus verdadeiros amigos me dizem quando há algo errado comigo. Dizem a mim, como só um amigo tem coragem de fazer.
Os meus queridos amigos me dão alegria só de saber notícias suas, onde quer que estejam.
Biblicamente falando: 'há um amigo que se apega mais do que um irmão' (Provérbios 18:24) e são a esses poucos, sinceros, profundos, amorosos e verdadeiros amigos que dedico esse Blog de hoje. Vocês estão de parabéns por me suportarem por tanto tempo, por me apoiarem e me ajudarem durante todo esse tempo.
Aos meus valorosos amigos das cidades por ande andei, das religiões que frequentam, das favelas onde moram e principalmente, do meu coração, amo vocês. Sem vocês eu não seria o profissional que sou hoje, não seria respeitado como sou e não seria amado nem teria conhecido a Jeová, esse maravilhoso e supremo Deus único e verdadeiro.
Que o nosso bom Deus Jeová nos dê um bom dia de bençãos, frutos do espírito santo e respeito em nome de nosso Senhor Jesus Cristo!

                                                                                      Joca Vitorino

Pensamento: "A própria sabedoria é mais forte para o sábio do que dez homens em poder, que venham a estar numa cidade." (Bíblia-Eclesiastes 7:19)

Nenhum comentário:

Postar um comentário