Google+ Followers

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Em quem você pode confiar?


O sofrimento precisa acabar

O sofrimento de Khieu começou com o assassinato de seu pai. O motivo? Ele estava tomando conta de algumas vacas e deixou que elas entrassem num milharal próximo. Em outra ocasião, sua mãe e suas duas irmãs foram executadas pelo Khmer Vermelho, do Camboja. Depois, Khieu foi ferido por uma mina terrestre e ficou 16 dias esperando por ajuda na selva. Foi preciso amputar sua perna. “Eu não queria mais viver”, disse Khieu.
JÁ PERCEBEU que o sofrimento não escolhe suas vítimas? Desastres naturais, doenças, deficiências, crimes violentos e outras tragédias podem sobrevir a qualquer um, em qualquer lugar e a qualquer hora. Organizações humanitárias trabalham incansavelmente para prevenir ou pelo menos amenizar o sofrimento humano. Mas até que ponto conseguiram fazer isso?
...
Pessoas influentes na política, sociedade e medicina se esforçam ao máximo para aliviar o sofrimento, mas os resultados têm sido decepcionantes. Programas para estimular o crescimento econômico não eliminaram a pobreza. Vacinas, remédios e técnicas cirúrgicas avançadas não conseguem acabar com todas as doenças. Policiais e forças de paz ficam de mãos atadas diante dos crimes violentos, que não param de aumentar.
Será que o sofrimento humano é mesmo um “desígnio” de Deus? A Bíblia deixa bem claro que não. O sofrimento não fazia parte do propósito de Jeová Deus para a humanidade. Mas o primeiro casal humano se rebelou contra Deus, preferindo estabelecer seus próprios padrões do que é bom e do que é mau. Eles viraram as costas para Deus e sofreram as consequências. Hoje estamos sentindo os efeitos dessa péssima escolha. Mas de forma alguma foi Deus quem deu origem ao sofrimento humano. A Bíblia diz: “Quando posto à prova, ninguém diga: ‘Estou sendo provado por Deus.’ Pois, por coisas más, Deus não pode ser provado, nem prova ele a alguém.” (Tiago 1:13) O sofrimento pode sobrevir a qualquer um, mesmo aos que têm o favor de Deus. Veja os seguintes exemplos:
  • O profeta Eliseu tinha uma doença terminal. — 2 Reis 13:14.
  • O apóstolo Paulo escreveu que ‘continuou a ter fome e também sede, e a estar precariamente vestido, e a ser surrado, e a estar desabrigado’. — 1 Coríntios 4:11.
  • O cristão Epafrodito estava doente e “deprimido”. — Filipenses 2:25, 26.
Em nenhum lugar a Bíblia diz que esses três homens estavam sendo castigados por Deus por causa de seus pecados. Na verdade, além de revelar que Deus não é o responsável pelo sofrimento, a Bíblia identifica três fatores básicos que costumam causar sofrimento.
A Bíblia diz: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” (João 12:31; 1 João 5:19) Esse “iníquo” é Satanás, o Diabo, uma poderosa criatura espiritual descrita como “o governante da autoridade do ar”. Satanás promove “o espírito que agora opera nos filhos da desobediência”. (Efésios 2:2) Alguns crimes, como genocídios e abusos infantis, são tão chocantes que muitos acreditam haver algum tipo de influência sobre-humana por trás deles.
“[Deus] enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores já passaram.” — Revelação (Apocalipse) 21:4.
PODEMOS confiar nessa promessa consoladora? Pense num dos primeiros avisos dados ao homem. Deus disse a Adão que, se ele desobedecesse, ‘positivamente morreria’. (Gênesis 2:17) E ele morreu mesmo, conforme havia sido avisado. Esse acontecimento e o fato de a humanidade ter herdado a morte e o sofrimento mostram que Deus cumpre sua palavra e que podemos confiar no que ele diz. Existe algum motivo para duvidar de que a promessa de Deus de restaurar condições perfeitas à Terra também se cumprirá?
Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved. 




ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário