Google+ Followers

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Até que ponto devemos amar ao outro?


Como Ter uma Família Feliz

Resolver diferenças

Entender os desafios

A maioria dos casais quer ser amoroso e gentil um com o outro. No entanto, a Bíblia diz realisticamente que “todos pecaram e não atingem a glória de Deus”. (Romanos 3:23) Assim, quando surgem desentendimentos, pode ser difícil controlar as emoções. E, se começa uma discussão, alguns talvez achem muito difícil resistir a maus hábitos, como gritar e falar palavras ofensivas. (Romanos 7:21; Efésios 4:31) Que outras coisas podem causar tensão?
Marido e esposa em geral se comunicam de forma diferente. Michiko diz: “Logo que nos casamos, descobri que eu e meu marido tínhamos maneiras diferentes de discutir os assuntos. Gosto de falar não apenas sobre o que aconteceu, mas também por que como aconteceu. Parece que meu marido só se interessa pelo resultado final.”
O problema de Michiko é comum. Em muitos casamentos, pode ser que a esposa ou o marido queira conversar demoradamente sobre um desentendimento ao passo que o outro não gosta de confrontos e procura evitar a conversa. Às vezes, quanto mais um deles quer falar sobre o assunto, mais o outro tenta evitar isso. Já notou essa tendência no seu casamento? Será que um de vocês parece sempre ser o que quer discutir o assunto e o outro o que quer evitá-lo?
 Outro fator a levar em conta é que a criação de uma pessoa pode influenciar sua visão de como os casais devem se comunicar. Justin, casado há cinco anos, diz: “Venho de uma família reservada e acho difícil falar abertamente sobre meus sentimentos. Isso deixa minha esposa frustrada. A família dela é bastante extrovertida e ela não tem nenhuma dificuldade em me falar como se sente.”
Jesus disse que quando duas pessoas se casam é Deus quem as une, não o homem. (Mateus 19:4-6) Portanto, um bom casamento dá honra a Deus. Por outro lado, se o marido não mostra amor e consideração pela esposa, Jeová Deus talvez não ouça suas orações. (1 Pedro 3:7) Se a esposa não respeita o marido, na verdade ela está desrespeitando a Jeová, que deu ao marido o papel de chefe da família. — 1 Coríntios 11:3.
O escritor bíblico Tiago acautela: “Vede quão pouco fogo é preciso para incendiar um bosque tão grande! Ora, a língua é um fogo.” (Tiago 3:5, 6) Quando o casal falha em controlar a língua, pequenos desentendimentos podem logo se transformar numa briga feia. E casamentos em que há brigas frequentes não favorecem o desenvolvimento do amor.
TENTE O SEGUINTE: A próxima vez que surgir uma discussão, pergunte-se: ‘O que custa tentar compreender as preocupações de meu cônjuge? Fiz algo que contribuiu para o problema? O que me impede de pedir desculpas pelos meus erros?’
O apóstolo Paulo escreveu: “O amor . . . não leva em conta o dano.” (1 Coríntios 13:4, 5) O verdadeiro amor não é cego. Mas também não faz um registro dos erros. Paulo também disse que o amor “acredita todas as coisas”. (1 Coríntios 13:7) Não que esse tipo de amor seja ingênuo, mas está disposto a confiar. Não é suspeitoso, desconfiado. O tipo de amor que a Bíblia incentiva está pronto a perdoar e deseja dar a outros o benefício da dúvida. (Salmo 86:5; Efésios 4:32) Quando os casais mostram esse tipo de amor um pelo outro, eles têm um casamento feliz.
JW.ORG / SITE OFICIAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved.



ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário