Google+ Followers

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Saber perdoar de coração


NÃO SE IRE PARA NÃO FICAR SÓ

Por que tantas pessoas sentem solidão?



NA SOCIEDADE atual, muitos convivem com a solidão. Ela atinge pessoas de todas as idades, raças, camadas sociais e crenças. Já se sentiu solitário? Sente-se solitário agora? Na verdade, às vezes todos nós sentimos a necessidade de companheirismo — de alguém para ouvir o que dizemos, para nos consolar; alguém que compreenda nossos sentimentos mais profundos, nossos pensamentos e que nos aceite como somos. Precisamos de alguém que seja sensível a nossas emoções.
Estarmos sozinhos, no entanto, não significa que somos solitários. Alguém pode estar sozinho por muito tempo e gostar do que faz, sem se sentir nem um pouco solitário. Por outro lado, há quem não suporte ficar sozinho. ODicionário Brasileiro da Língua Portuguesa define “só” como: “que está sem companhia, desacompanhado”, o que não significa que a pessoa esteja necessariamente infeliz; ao passo que “solitário” traz a idéia de “abandonado de todos, reduzido à solidão” e, portanto, tem para muitos uma conotação negativa de tristeza. “Sozinho”, embora tenha basicamente o mesmo sentido de “só”, também pode significar “absolutamente só” e pode incluir ainda “um elemento afetivo que caracteriza a tristeza ou compaixão de quem está só”. — Dicionário de Sinônimos, de Antenor Nascentes.

A solidão é um sentimento bem forte, que pode se tornar muito doloroso. Provoca uma sensação de vazio, de isolamento, de estar fora do convívio com outras pessoas. Podemos nos sentir vulneráveis e assustados. Já se sentiu assim? O que causa a solidão?
Os problemas, as circunstâncias e as condições produzem efeitos diferentes em cada pessoa. Talvez já tenha se sentido rejeitado pelos colegas devido a sua aparência, raça ou religião. Mudanças de ambiente — como freqüentar uma nova escola, arranjar outro emprego, ou mudar-se para outro bairro, cidade ou país — podem ocasionar solidão por se ter deixado todos os amigos para trás. A perda de um dos pais ou do cônjuge pode provocar a solidão, possivelmente durante muitos anos. Também, à medida que ficamos mais velhos, nosso círculo de amizades e conhecidos muda, diminui ou desaparece.
O casamento nem sempre é uma garantia de se estar livre da solidão. Desentendimentos ou falta de compatibilidade talvez causem estresse que pode criar um clima de incertezas e até mesmo isolamento por parte de cônjuges e filhos. Mas, além da solidão causada pela morte de uma pessoa querida, pelo divórcio ou pelo isolamento literal ou emocional, há ainda outro tipo de solidão que pode nos afetar profundamente. Ocorre quando nosso relacionamento com Deus fica abalado e nos sentimos separados dele.
“Orações sinceras a Jeová nos dão a ajuda de que precisamos para nos livrar de situações que podem parecer um beco sem saída.” Jorge, cuja esposa é falecida, comenta o que ele faz para lidar com a solidão: “É necessário persistência. Demonstrar interesse nos outros me ajuda muito. ‘Compartilhar os sentimentos’ ao conversar com outros pode fazer com que nossa conversa se torne mais significativa e nos ajudar a descobrir a beleza interior de cada um.” — 1 Pedro 3:8.

Publicado em Despertai!  de 8 de junho de 2004



ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário