Google+ Followers

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Como ser feliz, realmente?

Como encontrar a verdadeira felicidade?


Há uns 2 mil anos, Jesus Cristo ensinou um modo de vida diferente, que traz alívio e reduz o estresse. A essência de seu ensino é uma verdade simples, mas profunda. Ele disse: “Felizes os cônscios de sua necessidade espiritual.” (Mateus 5:3) De fato, Jesus incentivou seus ouvintes a dar prioridade à maior necessidade humana — saber a verdade espiritual sobre o nosso Criador e seu propósito para conosco.

A felicidade [...] é o resultado, não de apenas um fator, mas da combinação de vários fatores em nossa vida. Entre esses estão o trabalho, o lazer, o tempo gasto com a família e com os amigos, e atividades espirituais. Mas há ainda outros fatores que nem sempre são levados em conta, como atitudes, desejos e objetivos na vida.

Deus se preocupa com a felicidade e o bem-estar espiritual de todas as pessoas. (Atos 10:34, 35; 17:26, 27) ‘Eu sou aquele que te ensina a tirar proveito’, diz Deus. Ele nos promete dar paz e tranqüilidade, “como um rio”, se seguirmos seus mandamentos. — Isaías 48:17, 18.

Jesus disse: “Mesmo quando alguém tem abundância, sua vida não vem das coisas que possui.” (Lucas 12:15) De fato, seu verdadeiro valor como pessoa, principalmente aos olhos de Deus, não tem nada a ver com o saldo de sua conta bancária. Na realidade, a busca de riquezas muitas vezes aumenta as ansiedades, que tiram a nossa alegria e roubam tempo de objetivos mais importantes. — Marcos 10:25; 1 Timóteo 6:10.

O escritor bíblico Salomão disse isso da seguinte maneira: “Quem ama o dinheiro nunca ficará satisfeito; quem tem a ambição de ficar rico nunca terá tudo o que quer.” (Eclesiastes 5:10, Bíblia na Linguagem de Hoje) Pode-se comparar essa situação com a coceira provocada pela picada de um mosquito — quanto mais você coça, mais a coceira aumenta, até ferir a pele.

“Há mais felicidade em dar do que há em receber”, disse Jesus. (Atos 20:35) Além de dar em sentido material, podemos dar de nosso tempo e energia, o que talvez tenha ainda mais valor, principalmente na família. Maridos e esposas precisam passar tempo juntos para manter seu casamento forte e feliz, e os pais precisam reservar bastante tempo para conversar com os filhos, dar-lhes carinho e ensiná-los. Quando os membros da família dão nesse sentido, eles são bem-sucedidos e seu lar torna-se um lugar onde há felicidade.

O amor verdadeiro é mesmo altruísta! Visto que “não procura os seus próprios interesses”, quem ama coloca a felicidade dos outros à frente da sua. Infelizmente, esse tipo de amor está ficando cada vez mais raro. De fato, na sua notável profecia sobre o fim deste sistema, Jesus disse que ‘o amor da maioria se esfriaria’. — Mateus 24:3, 12; 2 Timóteo 3:1-5.

Em breve Deus eliminará da Terra todas as pessoas que estão cheias de ódio ou que se deixam levar pela ganância. Ele preservará vivos apenas os que se esforçam para demonstrar o tipo de amor descrito acima. Em resultado disso, haverá paz e felicidade em toda a Terra. Com certeza se cumprirá a promessa bíblica: “Apenas mais um pouco, e o iníquo não mais existirá; e estarás certamente atento ao seu lugar, e ele não existirá. Mas os próprios mansos possuirão a terra e deveras se deleitarão na abundância de paz.” — Salmo 37:10, 11.

Imagine todos os dias de sua vida repletos de ‘deleite’, ou satisfação plena! Não é de admirar que a Bíblia diga: “Alegrai-vos na esperança”! (Romanos 12:12)

Publicado em Despertai! de abril de 2006

Copyright © 2011 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania. All rights reserved

Nenhum comentário:

Postar um comentário