Google+ Followers

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Como a energia se transforma em matéria?


Esperança segura para seus entes queridos falecidos

IMAGINE que você esteja fugindo de um inimigo cruel. Ele é muito mais forte e veloz do que você. Você sabe que ele não tem compaixão, pois já o viu matar alguns de seus amigos. Por mais que tente se afastar dele, mais perto ele chega. Parece não haver esperança. Daí, de repente, surge um libertador ao seu lado. Ele é muito mais poderoso do que seu inimigo, e promete ajudá-lo. Quanto alívio isso lhe dá!
Em certo sentido, você está sendo perseguido por um inimigo assim. Todos nós estamos. Como vimos no capítulo anterior, a Bíblia chama a morte de “inimigo”. Nenhum de nós pode fugir ou livrar-se dele. A maioria de nós tem visto esse inimigo tirar a vida de pessoas que amamos. Mas Jeová é muito mais poderoso do que a morte. Ele é o amoroso Libertador, que já provou que pode derrotar esse inimigo, a morte. E promete destruí-lo de uma vez por todas. A Bíblia ensina: “Como último inimigo, a morte há de ser reduzida a nada.” (1 Coríntios 15:26) Isso é uma boa notícia!
Vejamos brevemente como o ataque desse inimigo nos afeta. Isso nos ajudará a entender algo que nos alegrará. Como sabemos, Jeová promete que os mortos viverão de novo. (Isaías 26:19) Serão trazidos de volta à vida. Essa é a esperança da ressurreição.

QUANDO MORRE UM ENTE QUERIDO

Você já perdeu um ente querido na morte? A dor, o pesar e os sentimentos de desamparo podem parecer insuportáveis. Nessas ocasiões, temos de buscar o consolo da Palavra de Deus. (2 Coríntios 1:3, 4) A Bíblia nos ajuda a entender como Jeová e Jesus se sentem a respeito da morte. Jesus, que refletiu com perfeição as qualidades de seu Pai, conheceu a dor de perder uma pessoa amada. (João 14:9) Quando estava em Jerusalém, Jesus costumava visitar Lázaro e suas irmãs, Maria e Marta, que moravam na vizinha cidade de Betânia. Eles se tornaram grandes amigos. A Bíblia diz: ‘Jesus amava Marta, sua irmã e Lázaro.’ (João 11:5
Como Jesus reagiu à perda de seu amigo? O relato diz que ele foi visitar os parentes e amigos de Lázaro, que choravam a sua morte. Vendo-os, Jesus ficou muito comovido. Ele “gemeu no espírito e ficou aflito”. Daí, segundo o relato, ‘Jesus chorou’. (João 11:3335) Será que o pesar de Jesus significava que ele não tinha esperança? De modo algum. Na verdade, Jesus sabia que algo maravilhoso estava para acontecer. (João 11:3, 4) Mesmo assim, ele sentiu a dor e a tristeza que a morte causa.
 De certo modo, o pesar de Jesus é animador para nós. Ensina-nos que ele e seu Pai, Jeová, odeiam a morte. Mas Jeová é capaz de enfrentar e derrotar esse inimigo! Vejamos o que ele capacitou Jesus a fazer.

“LÁZARO, VEM PARA FORA!”

Lázaro havia sido sepultado numa caverna, e Jesus pediu que a pedra que fechava a entrada fosse removida. Marta não concordou com isso porque depois de quatro dias o corpo de Lázaro já devia estar em decomposição. (João 11:39) Do ponto de vista humano, que esperança havia?
A pedra foi afastada, e Jesus bradou: “Lázaro, vem para fora!” O que aconteceu? “O homem que estivera morto saiu.” (João 11:43, 44) Pode imaginar a alegria das pessoas ali? Não importava se Lázaro era irmão, parente, amigo ou vizinho delas. Elas sabiam que ele tinha morrido. No entanto, ali estava ele — a mesma pessoa amada — no meio delas outra vez. Isso deve ter parecido bom demais para ser verdade. Muitos sem dúvida abraçaram Lázaro com enorme alegria. Que vitória sobre a morte!
Jesus não disse que realizaria esse espantoso milagre por si mesmo. Em sua oração, pouco antes de chamar Lázaro, ele deixou claro que a Fonte da ressurreição era Jeová. (João 11:41, 42) Essa não foi a única vez que Jeová usou seu poder dessa maneira. A ressurreição de Lázaro é apenas um dos nove milagres desse tipo registrados na Palavra de Deus.* Ler e estudar esses relatos é um prazer. Eles mostram que Deus não é parcial, pois entre os ressuscitados houve jovens e idosos, homens e mulheres, israelitas e não-israelitas. E quanta alegria esses relatos descrevem! Por exemplo, quando Jesus ressuscitou certa mocinha, seus pais ‘ficaram fora de si com grande êxtase’. (Marcos 5:42) Jeová lhes dera uma causa para alegria que jamais esqueceriam.
Naturalmente, aqueles que foram ressuscitados por Jesus por fim morreram de novo. Significa isso que foi inútil ressuscitá-los? De modo algum. Esses relatos bíblicos confirmam verdades importantes e nos dão esperança.

O QUE NOS ENSINAM OS RELATOS DE RESSURREIÇÕES

A Bíblia ensina que os mortos “não estão cônscios de absolutamente nada”. Eles não estão vivos e não têm existência consciente em nenhum lugar. O relato sobre Lázaro confirma isso. Quando ele voltou a viver, será que emocionou as pessoas com descrições sobre como é o céu? Ou será que as aterrorizou com histórias horríveis sobre um inferno de fogo? Não. Na Bíblia não há nada que indique que Lázaro tenha dito algo assim. Durante os quatro dias em que esteve morto, ele não estava ‘cônscio de absolutamente nada’. (Eclesiastes 9:5) Lázaro simplesmente dormia na morte. — João 11:11.
O relato de Lázaro também nos ensina que a ressurreição é uma realidade, não um simples mito. Jesus ressuscitou Lázaro à vista de uma multidão de testemunhas. Até mesmo os líderes religiosos, que odiavam Jesus, não negaram esse milagre. Em vez disso, disseram: “Que devemos fazer, visto que este homem [Jesus] realiza muitos sinais?” (João 11:47) Muitas pessoas foram ver o homem ressuscitado. Em resultado disso, ainda mais pessoas passaram a ter fé em Jesus. Para elas, Lázaro era uma prova viva de que Jesus havia sido enviado por Deus. Essa evidência era tão forte que alguns endurecidos líderes judaicos planejaram matar tanto Jesus como Lázaro. — João 11:5312:9-11.
Será que é irrealístico aceitar a ressurreição como fato? Não, pois Jesus ensinou que um dia “todos os que estão nos túmulos memoriais” serão ressuscitados. (João 5:28) Jeová é o Criador de toda forma de vida. É difícil crer que ele possa recriar a vida? Naturalmente, muito depende da memória de Jeová. Será que ele pode lembrar-se de nossos entes queridos falecidos? Incontáveis trilhões de estrelas povoam o Universo, no entanto, Deus dá nome a cada uma delas! (Isaías 40:26) Portanto, Jeová Deus pode lembrar-se de nossos entes queridos falecidos nos mínimos detalhes, e ele está pronto para trazê-los de volta à vida.
Mas como Jeová se sente a respeito de ressuscitar os mortos? A Bíblia ensina que ele está ansioso para fazer isso. Jó, um homem fiel, perguntou: “Morrendo o varão vigoroso, pode ele viver novamente?” Jó se referia a esperar na sepultura até o dia em que Deus se lembrasse dele. Ele disse a Jeová: “Tu chamarás e eu mesmo te responderei. Terás saudades do trabalho das tuas mãos.” — Jó 14:13-15.
Pense nisso! Jeová, na realidade, deseja muito trazer os mortos de volta à vida. Não é animador saber que Jeová tem esse desejo? Mas como será essa futura ressurreição? Quem será ressuscitado, e para viver onde?

“TODOS OS QUE ESTÃO NOS TÚMULOS MEMORIAIS”

Os relatos da Bíblia a respeito de ressurreições nos ensinam muito sobre como será a futura ressurreição. As pessoas que foram ressuscitadas aqui na Terra voltaram a viver com seus entes queridos. A futura ressurreição será semelhante — porém muito melhor. Como vimos no Capítulo 3, o propósito de Deus é que a Terra toda se torne um paraíso. Portanto, os mortos não serão ressuscitados num mundo cheio de guerras, crimes e doenças. Eles terão a oportunidade de viver para sempre na Terra em condições pacíficas e felizes.
Quem será ressuscitado? Jesus disse que “todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz [isto é, a de Jesus] e sairão”. (João 5:28, 29) Similarmente, Revelação (Apocalipse) 20:13 diz: “O mar entregou os mortos nele, e a morte e o Hades entregaram os mortos neles.” “Hades” refere-se à sepultura comum da humanidade. (Veja o Apêndice.) Essa sepultura coletiva será esvaziada. Todos os bilhões que descansam ali viverão de novo. O apóstolo Paulo disse: “Há de haver uma ressurreição tanto de justos como de injustos.” (Atos 24:15) O que significa isso?
 Os “justos” incluem muitas pessoas mencionadas na Bíblia que viveram antes de Jesus ter vindo à Terra. Você talvez pense em Noé, Abraão, Sara, Moisés, Rute, Ester e muitos outros. Hebreus, capítulo 11, refere-se a alguns desses homens e mulheres de fé. Mas os “justos” incluem também os servos de Jeová que morrem em nossos dias. Graças à esperança da ressurreição, podemos ficar livres de qualquer pavor da morte. — Hebreus 2:15.
Que dizer de todas aquelas pessoas que não serviram nem obedeceram a Jeová porque não o conheceram? Esses bilhões de “injustos” não serão esquecidos. Eles também serão ressuscitados e terão tempo para aprender sobre o Deus verdadeiro e servi-lo. Durante um período de mil anos, os mortos serão ressuscitados e receberão a oportunidade de se juntar aos fiéis humanos na Terra em servir a Jeová. Será um tempo maravilhoso. A Bíblia chama esse período de Dia do Julgamento.#
Significa isso que todos os humanos que já viveram serão ressuscitados? Não. A Bíblia diz que alguns mortos estão na “Geena”. (Lucas 12:5) O nome Geena origina-se de um depósito de lixo que ficava fora da Jerusalém antiga. Cadáveres e lixo eram queimados ali. Os mortos cujos corpos eram lançados naquele lugar eram considerados, pelos judeus, indignos de sepultamento e ressurreição. Assim, Geena é símbolo apropriado de destruição eterna. Jesus terá uma participação no julgamento dos vivos e dos mortos, mas o Juiz final será Jeová. (Atos 10:42) Ele jamais ressuscitará aqueles que considerar maus e incorrigíveis.

RESSURREIÇÃO PARA A VIDA NO CÉU

A Bíblia menciona também outro tipo de ressurreição, para a vida como criatura espiritual no céu. Ela registra apenas um exemplo desse tipo de ressurreição, a de Jesus Cristo.
 Depois de Jesus ter sido morto como humano, Jeová não permitiu que esse Filho fiel permanecesse na sepultura. (Salmo 16:10Atos 13:34, 35) Deus o ressuscitou, mas não como humano. O apóstolo Pedro explica que Cristo foi “morto na carne, mas vivificado no espírito”. (1 Pedro 3:18) Isso foi realmente um grande milagre. Jesus estava vivo de novo como poderosa pessoa espiritual! (1 Coríntios 15:3-6) Ele foi o primeiro a se beneficiar desse glorioso tipo de ressurreição. (João 3:13) Mas não seria o único.
 Sabendo que logo voltaria para o céu, Jesus disse a seus seguidores fiéis que lhes ‘prepararia um lugar’. (João 14:2) A esses que iriam para o céu Jesus chamou de “pequeno rebanho”. (Lucas 12:32) De quantos se comporia esse grupo relativamente pequeno de cristãos fiéis? De acordo com Revelação 14:1, o apóstolo João diz: “Eu vi, e eis o Cordeiro [Jesus Cristo] em pé no monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que têm o nome dele e o nome de seu Pai escrito nas suas testas.”
 Esses 144.000 cristãos, incluindo os apóstolos fiéis de Jesus, são ressuscitados para a vida no céu. Quando é que ocorre a ressurreição deles? O apóstolo Paulo escreveu que ocorreria durante o período da presença de Cristo. (1 Coríntios 15:23) Como veremos no Capítulo 9, vivemos agora nesse período. Assim, os poucos remanescentes dos 144.000 que morrem em nossos dias são ressuscitados instantaneamente para a vida no céu. (1 Coríntios 15:51-55) A vasta maioria da humanidade, porém, tem a perspectiva de ser ressuscitada no futuro para viver na Terra paradisíaca.
 Podemos ter absoluta certeza de que Jeová derrotará o nosso inimigo, a morte — e para sempre! (Isaías 25:8) Mas talvez se pergunte: ‘O que os ressuscitados para viver no céu farão ali?’ Eles farão parte de um maravilhoso governo do Reino no céu.
Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved.



ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário