Google+ Followers

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

A influência purificadora da VERDADE


Sobreviver ao primeiro ano de casamento




Ele diz: “Fiquei surpreso de ver como eu e minha esposa somos diferentes! Por exemplo, eu gosto de deitar cedo para acordar cedo, mas ela gosta de ficar acordada até tarde. As alterações de humor dela me deixam perplexo! E outra coisa — quando eu cozinho, ela me critica muito, especialmente se eu limpo as mãos no pano de prato.”



Ela diz: “Meu marido não é de falar muito. Mas eu vim de uma família que conversa bastante, principalmente durante as refeições. E quando meu marido cozinha, o mesmo pano que ele usa para secar a louça ele usa para limpar as mãos. Isso me irrita! Por que é tão difícil entender os homens? Como as pessoas conseguem fazer o casamento dar certo?”



SE VOCÊ é recém-casado, tem passado por situações assim? Tem a impressão de que seu cônjuge de repente começou a mostrar falhas e defeitos que não eram notados durante o namoro? Como vocês podem diminuir o impacto dos “problemas de cada dia que terão na vida de casados”? — 1 Coríntios 7:28, Bíblia na Linguagem de Hoje.



Primeiro, não pense que só porque vocês se casaram já são especialistas na vida de casados. Quando solteiro, pode ser que você tenha adquirido importantes habilidades para se relacionar com pessoas, e talvez as tenha aprimorado quando estava namorando. Mas o casamento vai exigir que você use essas habilidades de maneiras diferentes, e provavelmente terá de aprender outras. Você vai cometer erros? Sem dúvida. Conseguirá obter as habilidades necessárias? Com certeza!



O melhor modo de aprimorar qualquer habilidade é consultar um especialista e aplicar os conselhos dados. O maior especialista em casamento é Jeová Deus. Afinal, foi ele quem nos criou com o desejo de se casar. (Gênesis 2:22-24) Note como Sua Palavra, a Bíblia, pode ajudá-lo a superar os desafios e a adquirir as habilidades necessárias para que seu casamento passe do primeiro ano.



HABILIDADE 1. APRENDA A CONSULTAR UM AO OUTRO

Quais são os desafios?

Keiji, * que mora no Japão, às vezes esquecia que suas decisões afetavam sua esposa. Ele diz: “Eu aceitava convites sem consultar minha esposa. Depois, eu descobria que não dava para ela atender a todos aqueles compromissos.” Allen, da Austrália, diz: “Eu não achava normal um homem consultar a esposa para tomar decisões.” Por causa de sua formação isso era um desafio para ele. Aconteceu o mesmo com Dianne, que mora na Grã-Bretanha. Ela diz: “Eu estava acostumada a pedir conselhos à minha família. Então no começo, ao tomar decisões, eu os consultava em vez de consultar meu marido.”



Qual é a solução?

Lembre-se de que para Jeová Deus o marido e a esposa são “uma só carne”. (Mateus 19:3-6) Para ele, nenhum outro relacionamento humano é mais importante do que o relacionamento entre marido e esposa. Para manter forte esse vínculo, a boa comunicação é essencial.



Marido e esposa podem aprender muito por analisar como Jeová se comunicou com Abraão. Por exemplo, leia a conversa registrada em Gênesis 18:17-33. Note que Deus mostrou consideração a Abraão de três maneiras. (1) Jeová explicou o que pretendia fazer. (2) Escutou enquanto Abraão dava sua opinião. (3) Dentro do possível, Jeová estava disposto a alterar o que pretendia fazer em consideração a Abraão. Como você pode fazer o mesmo ao conversar com seu cônjuge?



TENTE O SEGUINTE: Ao conversar sobre assuntos que afetarão seu cônjuge, (1) explique como você gostaria de lidar com a situação, mas apresente suas ideias como sugestões, não como decisão final ou ultimato; (2) peça a opinião de seu cônjuge e reconheça que ele tem o direito de ter um ponto de vista diferente; e (3) “seja a vossa razoabilidade conhecida” por dar preferência às opiniões de seu cônjuge sempre que possível. — Filipenses 4:5.



HABILIDADE 2. APRENDA A TER TATO

Qual é o desafio?

Dependendo de sua criação ou formação cultural, talvez você tenha o hábito de expressar suas opiniões de modo muito direto, até mesmo ríspido. Por exemplo, Liam, que mora na Europa, diz: “De onde eu venho as pessoas não se expressam com muito tato. Meu jeito ríspido de me expressar sempre magoava minha esposa. Eu tive que aprender a ser mais gentil.”



Qual é a solução?

Não pense que seu cônjuge quer que você fale com ele do jeito que você está acostumado a falar. (Filipenses 2:3, 4) O conselho que o apóstolo Paulo deu a um missionário também serve para os recém-casados. Ele escreveu: “O escravo do Senhor não precisa lutar, porém, precisa ser meigo.” No grego original, a palavra traduzida “meigo” também pode ser vertida “ter tato”. (2 Timóteo 2:24) Tato é a habilidade de entender a necessidade de ser cauteloso numa situação e tratar o assunto com bondade.



TENTE O SEGUINTE: Quando você estiver irritado com seu cônjuge, imagine que, em vez de estar falando com ele, você esteja falando com um amigo ou com seu patrão. Você usaria o mesmo tom de voz e as mesmas palavras? Então pense nos motivos pelos quais seu cônjuge merece que você fale com ele de modo ainda mais respeitoso e com mais tato do que falaria com um amigo ou com seu patrão. — Colossenses 4:6.



HABILIDADE 3. APRENDA A SE AJUSTAR AO SEU NOVO PAPEL

Qual é o desafio?

De início o marido talvez deixe a desejar no modo como exerce a chefia, ou pode ser que a esposa não esteja acostumada a dar sugestões com tato. Por exemplo, Antonio, da Itália, diz: “Meu pai dificilmente consultava minha mãe quando tratava de assuntos familiares. Por isso, no começo do meu casamento eu era um chefe de família autoritário.” Debbie, do Canadá, diz: “Eu exigia que meu marido fosse mais asseado. Mas meu jeito autoritário parecia deixá-lo ainda mais determinado a não mudar.”



Qual é a solução para o marido?

Alguns maridos confundem o que a Bíblia diz sobre a esposa sujeitar-se ao marido com o que ela diz sobre os filhos obedecerem aos pais. (Colossenses 3:20; 1 Pedro 3:1) No entanto, a Bíblia diz que o marido deve ‘se apegar à sua esposa, e os dois devem ser uma só carne’, mas ela não diz isso sobre pais e filhos. (Mateus 19:5) Jeová considera a esposa como complemento, ou parte correspondente, do marido. (Gênesis 2:18) Ele nunca se refere aos filhos como complemento, ou parte correspondente, dos pais. O que você acha — se o marido trata a esposa como trata um filho, será que ele está honrando a instituição do casamento?



Na verdade, a Palavra de Deus diz que você deve tratar a esposa assim como Jesus trata a congregação cristã. Você pode tornar mais fácil para sua esposa aceitá-lo como seu cabeça se (1) não esperar que ela manifeste sujeição imediata e de modo perfeito e (2) se amá-la como a seu próprio corpo, mesmo quando surgirem dificuldades. — Efésios 5:25-29.



Qual é a solução para a esposa?

Reconheça que seu marido é agora seu cabeça designado por Deus. (1 Coríntios 11:3) Se você honra seu marido, você honra a Deus. Se rejeita sua chefia, isso revela não só o que você sente com relação a seu marido como também o que sente com relação a Deus e aos seus requisitos. — Colossenses 3:18.





Ao lidar com situações difíceis, aprenda a atacar o problema — não o caráter de seu marido. A Rainha Ester, por exemplo, queria que seu marido, o Rei Assuero, corrigisse uma injustiça. Em vez de atacar a pessoa dele, ela falou com tato. Seu marido aceitou sua sugestão e fez a coisa certa. (Ester 7:1-4; 8:3-8) É mais provável que seu marido a ame cada vez mais se (1) você lhe der tempo para aprender a exercer bem seu novo papel como chefe de família e (2) se você tratá-lo com respeito mesmo quando ele cometer erros. — Efésios 5:33.



TENTE O SEGUINTE: Em vez de ficar pensando nas mudanças que você acha que seu cônjuge deve fazer, pense no que você precisa mudar. Marido: quando você magoar sua esposa pelo modo como exerce ou deixa de exercer sua chefia, pergunte a ela como você pode melhorar, e então anote as sugestões. Esposa: quando seu marido achar que não está sendo respeitado, pergunte a ele como você pode melhorar, e depois tome nota das sugestões.



Tenha expectativas razoáveis

Conseguir um relacionamento feliz e equilibrado no casamento é como aprender a andar de bicicleta. É natural levar alguns tombos até ganhar confiança. Do mesmo modo, é natural cometer alguns erros enquanto se ganha experiência no casamento.



Mantenha o senso de humor. Leve a sério as preocupações de seu cônjuge e aprenda a rir de seus próprios erros. Aproveite as oportunidades para fazer seu cônjuge feliz no primeiro ano de casamento. (Deuteronômio 24:5) Acima de tudo, permita que seu relacionamento tenha como base a Palavra de Deus. Se fizer isso, seu casamento ficará cada vez mais forte com o passar dos anos.



A Bíblia salvou nosso casamento



Toru e Akiko gostavam muito um do outro quando se casaram. Mas, apenas oito meses depois do casamento, esse casal japonês decidiu se divorciar. Eles contam o que aconteceu.



Toru: “Descobri que eu e minha esposa não éramos tão compatíveis quanto imaginava. Por exemplo, quando assistíamos TV, eu gostava de esportes e ela de ver filmes. Eu gostava de sair, mas ela gostava de ficar em casa.”



Akiko: “Toru fazia tudo o que sua família queria sem me consultar. Eu lhe perguntava: ‘Quem é mais importante para você, eu ou sua mãe?’ Além disso, ficava chocada de ver como Toru torcia os fatos. Eu dizia a ele que uma mentira leva a outra, e que se ele não parasse de mentir nosso casamento não ia durar muito.”



Toru: “Sem saber o que fazer, pedi conselho a um colega mais velho sobre como lidar com minha esposa. Ele disse: ‘Diga a ela para calar a boca. Se ela reclamar, dê uns tapas nela.’ Certa vez eu dei um tapa no rosto de Akiko e virei a mesa. Brigamos feio, e ela foi embora. Tive que buscá-la num hotel em Tóquio. Finalmente, decidimos nos divorciar. Quando saí para o escritório de manhã, minha esposa começou a fazer as malas.”



Akiko: “Eu estava levando minhas malas para a porta da frente quando a campainha tocou. Era uma senhora, Testemunha de Jeová. Eu a convidei para entrar.”



Toru: “Quando cheguei no escritório, fiquei pensando se o divórcio era mesmo o que eu queria, então voltei correndo para casa. Ao chegar, encontrei Akiko conversando com uma senhora. A senhora me disse: ‘Vocês precisam fazer algo juntos. Gostariam de estudar a Bíblia?’ Eu disse: ‘Sim, qualquer coisa que salve o nosso casamento!’”



Akiko: “A senhora providenciou que tivéssemos um estudo bíblico. As coisas começaram a mudar quando lemos o que Bíblia diz sobre o casamento: ‘Por isso é que o homem deixará seu pai e sua mãe, e tem de se apegar à sua esposa, e eles têm de tornar-se uma só carne.’” — Gênesis 2:24.



Toru: “Entendi logo o ponto. Eu disse a meus pais: ‘De agora em diante, vou conversar com minha esposa antes de tomar qualquer decisão.’ Também deixei de beber como bebia antes. E quando aprendi que Deus odeia a mentira, me esforcei para falar somente a verdade.”





Akiko: “Eu também mudei. Por exemplo, eu costumava desafiar Toru. Mas, quando vi que ele estava aplicando os princípios bíblicos, passei a ser mais apoiadora. (Efésios 5:22-24) Somos um casal feliz já por mais de 28 anos. Conseguimos resolver nossos problemas por conhecer melhor um ao outro e aplicar os conselhos sábios da Bíblia.”



PERGUNTE-SE . . .

Será que meu cônjuge é meu confidente mais íntimo, ou prefiro consultar outros?

Nas últimas 24 horas, o que eu fiz que mostrou que eu amo e respeito meu cônjuge?   Copyright © 2012 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania, Inc. All rights reserved.     

ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário